Paul Stanley diz que não há motivo para o Kiss fazer músicas novas: 'Fãs querem as antigas'

Vocalista do Kiss está lançando o álbum "Now And Then", com o projeto Paul Stanley's Soul Station

Redação Publicado em 19/03/2021, às 09h09

None
Paul Stanley (Foto: Paul Kane/Getty Images)

Paul Stanley jogou um balde de água fria nos fãs do Kiss que esperam novas músicas da banda. Segundo o vocalista e guitarrista, "não há motivo para a banda fazer novas músicas" porque "os fãs querem ouvir as antigas". 

Ao ser questionado pelo USA Today sobre a possibilidade de material novo do Kiss, Paul Stanley respondeu: "Para ser honesto, eu não vejo motivo para isso. Quando bandas clássicas lançam novos álbuns, eles são olhados, ouvidos e jogados fora porque não têm a gravidade e a idade que vem com algo que é como uma cápsula do tempo ou que está ligado a um determinado período de sua vida".

+++LEIA MAIS: Gene Simmons, do Kiss, se irrita com Bolsonaro: 'disse que vacina pode transformar pessoas em jacaré'

Ainda na questão, o vocalista do Kisscontinuou: "E não estou sozinho nisso. Quando você está assistindo a algum show de uma banda clássica na TV, desligue o som e eu direi a você todas as vezes que eles estiverem tocando uma música nova, porque o público se entedia."

Paul Stanley, que está lançando o álbum Now And Then, com o projeto Paul Stanley's Soul Station, também disse que acha estranho que fãs de bandas clássicas queiram músicas novas, porque quando são lançadas, eles [os fãs], dizem: "Ok, isso é ótimo, mas agora toque as antigas."

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

"Músicas recentes do Kiss como 'Modern Day Delilah' ou 'Hell Or Hallelujah' são tão boas quanto muitas coisas que gravamos no passado, mas elas não têm o devido reconhecimento. Elas apenas não envelheceram como o vinho", declarou Paul Stanley.  

+++LEIA MAIS: Gene Simmons explica por que o rock está morto: 'Não é a falta de talento'

O último disco de inéditas do Kiss foi Monster (2012), que vendeu 56 mil cópias nos Estados Unidos em sua primeira semana de lançamento, ficando na 3ª posição na parada 200 da Billboard. Já o trabalho anterior, Sonic Boom (2009), estreou com 108 mil unidades vendidas e entrou nas paradas em 2.º lugar. 


+++ LAGUM: 'BUSCAMOS SER GENUÍNOS' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL