Pulse

Paul Stanley, guitarrista do Kiss, revela ter orelha subdesenvolvida

Segundo o músico, a deformidade congênita o levou a buscar a fama

Redação Publicado em 22/04/2019, às 11h08

None
Paul Stanley (Foto:Evan Agostini/Invision/AP)

Paul Stanley, líder do Kiss, será o próximo entrevistado no programa The Big Interview, de Dan Rather e, em um trecho revelado da conversa, o músico fala sobre como a fama foi essencial para compensar suas inseguranças e ajudá-lo a enfrentar certas questões. 

“Eu tinha aquilo que chamam de microtia, que é basicamente não ter uma orelha. Eu não era muito sociável, e quando você tem alguma diferença física que te destaca dos outros, isso te torna alvo de olhares minuciosos e até piada”, conta.

+++ Solta o riff! Rolling Stone Brasil vai premiar o melhor riff com prêmios exclusivos no Instagram 

Segundo o músico, foram essas inseguranças que o fizeram buscar a fama: por achar que isso compensaria tudo que faltava a ele, mas infelizmente “nesse momento da vida em que consegue ficar famoso, você se decepcionar porque percebe que não é um remédio, então ou enfia agulhas no braço, uma arma na boca ou vive a vida como uma vítima, e eu não sou desses”.

“Sou abençoado de fazer parte daquela ideia de formarmos a banda que nunca vimos, e que me colocou no caminho em que estou até hoje. Aonde isso está me levando, só deus sabe”, completou.

Microtia é uma deformidade congênita, na qual a orelha não se desenvolve por completo.

O episódio vai ao ar no canal AXS, no dia 23 de abril.

Entrevista RS: Di Ferrero fala sobre música pop, vida pós-NX Zero e projeto engavetado com Emicida: