Paulo Pagni, baterista da banda RPM, morre aos 61 anos

O músico estava internado em um hospital devido à uma fibrose pulmonar

Redação Publicado em 02/06/2019, às 13h38

None
Dioy Pallone, Luiz Schiavon e Paulo P.A. Pagni e Fernando Deluqui, nova formação da RPM (Foto: Divulgação)

Aos 61 anos, Paulo Antônio Figueiredo Pagni, baterista da banda Revoluções por Minuto (RPM), morreu neste domingo, 2. Fernando Deluqui, guitarrista do grupo, anunciou o ocorrido em uma postagem na sua página oficial do Facebook. 

"Caros fãs e amigos, infelizmente temos a tristeza de anunciar o falecimento do nosso querido e eterno baterista, Paulo Antônio Figueiredo Pagni, o P.A. Nosso irmão partiu poucos momentos atrás, mas seu legado será eternamente lembrado. Pedimos a compreensão de todos nesse momento de dor e boas vibrações para que sua passagem seja em paz e com muita luz.

Logo mais daremos maiores informações.
Luiz, Nando e Dioy." 

Paulo Pagni estava internado em um hospital devido uma fibrose pulmonar. Na noite de sábado, 1, Paulo Ricardo, ex-vocalista do grupo, publicou uma foto em seu Instagram para alertar sobre a doença. 



Um sucesso entre os anos de 1984 a 1987, a banda de rock brasileira conseguiu bater todos os recordes de vendas da industria fonográfica do país. O grupo, antes formado por Paulo RicardoFernando Deluqui (voz e guitarra), Luiz Schiavon (teclados) e Paulo Pagni (bateria), anunciou no início de janeiro o retorno da banda, agora com Dioy Pallone no baixo. 

Com agenda de shows aberta, o RPM, em nova fase, divulgou duas faixas, "Ah! Onde Está Você" e "Escravo da Estrada". No entanto, a banda ainda contempla os fãs com um repetório cheio de hits como "Olhar 43", "Rádio Pirata", "London, London", "Loiras Geladas", "Alvorada Voraz" e "Cruz e Espada". 

+++ De Zeca Pagodinho a Kendrick Lamar, Djonga escolhe os melhores de todos os tempos