Pulse

“Peço desculpas por ter sido tão idiota”, diz homem que matou John Lennon

Mark David Chapman teve oitavo pedido de liberdade condicional negado

Redação Publicado em 31/08/2014, às 10h05 - Atualizado às 12h35

Mark David Chapman

Ver Galeria
(12 imagens)

O homem que matou John Lennon em 1980, Mark David Chapman, pediu desculpas por “ter sido tão idiota” no depoimento no qual pediu liberdade condicional. De acordo com o jornal The Independent, Chapman ainda afirmou que “escolheu o caminho errado para chegar à glória”.

O Garoto de Liverpool está na nossa lista de cinebiografias musicais que valem a pena.

“Desculpe-me por causar este tipo de dor”, afirmou ele. “Muitas pessoas o amavam. Ele era um homem bom e talentoso. Sei que eles continuam sofrendo”, prosseguiu, revelando que recebe muitas cartas que sobre o incidente.

Depois de ter sido julgado por assassinato em segundo grau, Chapman foi condenado a prisão perpétua com direito de pedir condicional após os 20 primeiros anos. Desde que obteve o direito, em 2000, ele tenta a liberdade a cada dois anos. Esta foi a oitava vez que o pedido dele foi negado.

Galeria: dez grandes parcerias do rock and roll.

Chapman disparou cinco vezes – acertando quatro – nas costas de John Lennon, no lado de fora do apartamento do músico, em Manhattan, no dia 8 de dezembro de 1980. Aos 59 anos, ele poderá fazer a próxima solicitação para a liberdade condicional em agosto de 2016, segundo informaram as autoridades penitenciárias.