Pepe Le Gambá é acusado de 'normalizar cultura do estupro' por jornalista

Para colunista do New York Times, personagem "ensinou meninos que 'não' não significava realmente não e que era parte do 'jogo'"

Itaici Brunetti | @itaicibrunetti Publicado em 08/03/2021, às 10h41

None
Pepe Le Gambá (Foto: reprodução/vídeo)

O personagem animado Pepe Le Gambá, da turma do Looney Tunesda Warner Bros, foi acusado de ser um "assediador sexual" e de "normalizar a cultura do estupro" pelo jornalista, comentarista e colunista Charles M. Blow, em uma publicação do New York Times.

Na coluna publicada no jornal, Charles M. Blow também afirmou que, além de Pepe Le Gamba normalizar a cultura do estupro, o ratinho Ligeirinho representa a maneira preconceituosa que os americanos tratam os mexicanos e que a empregada negra exibida apenas das pernas para baixo no desenho Tom e Jerry é uma forma de racismo. 

+++LEIA MAIS: Como o estupro é romantizado na cultura pop - e não podemos mais aceitar isso

As críticas de Charles M. Blow aos personagens animados do Looney Tunes se tornaram polêmicas durante o fim de semana, principalmente a acusação contra Pepe Le Gambá

Através de sua conta no Twitter, o jornalista explicou a acusação: "Vamos ver: 1. Ele agarra / beija uma garota / estranho, repetidamente, sem consentimento e contra sua vontade. 2. Ela luta fortemente para se afastar dele, mas ele não a solta. 3. Ele tranca uma porta para impedi-la de escapar."

Para "desenhar" sua posição, Charles M. Blow postou uma cena da animação que ilustra suas palavras: 

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

"Isso ajudou a ensinar aos meninos que 'não' não significava realmente não, que era parte do 'jogo' e que era a linha de partida de uma luta pelo poder. Ensinou que superar as objeções rígidas e até físicas de uma mulher era normal, adorável, engraçado. Eles nem mesmo deram à mulher a habilidade de falar.", concluiu Charles M. Blow

De acordo com o The Hollywood Reporter, Pepe Le Gambá não aparecerá na sequência do filme Space Jam. Segundo o site, a decisão não teve relação com a coluna do New York Times, pois foi tomada há mais de um ano. 

+++LEIA MAIS: Marilyn Manson disse para Phoebe Bridgers que tinha um 'quarto de estupro'

As informações são do Consequence of Sound.


+++ HAIKAISS: 'O TRAP TAMBÉM PASSA UMA MENSAGEM CONSCIENTE' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL