Péricles cantando Frank Ocean? É isso que vai unir o Brasil

Em uma live publicada no sábado, ícone do cancioneiro nacional romântico Péricles admite que estudou a obra de Frank Ocean e quer incluí-lo no repertório

Pedro Antunes, editor-chefe Publicado em 05/07/2020, às 12h15

None
Montatem: Péricles (Foto: Angelo Pastorello) e Frank Ocean (Reprodução Instagram)

O Brasil, dividido, abatido, derrotado e na sarjeta. Quem virá nos socorrer? O herói Péricles, o ex-Exaltasamba com mais de 30 anos de carreira. Temos um salvador, enfim.

+++ LEIA MAIS: Fãs criam petição para Péricles gravar música de Frank Ocean

No melhor estilo Chapolin, Pericão vem ao nosso resgate. Dono da voz de grandes sucessos do pagode, como "Até que Durou" e "Supera", vai assumir o manto do "Mensageiro do Amor" (um neoclássico do pagodão na voz desse ícone) e salvará o País da divisão sem fim.

Pode não resolver a briga eterna entre esquerda e direita, embora jamais duvide do poder de Péricles, ele pelo menos irá unir o indie e o popular.

+++ LEIA MAIS: Frank Ocean lança 2 músicas e web reage: ‘Plano para hoje, chorar descontroladamente’

Há um ano, a internet hipster brasileira, de adoráveis samambaias na sala e com pisos com chão de taco, pede um encontro musical entre o ícone Péricles e o som de Frank Ocean, queridinho e um tanto misterioso músico e produtor norte-americano que ganhou fama ao longo da década passada.

Frank Ocean tem uma história parecida com Péricles, aliás. Ambos vieram de grupos e hoje se estabelecem como artistas solo. Pericão veio do Exaltasamba. Ocean, do Odd Future (um coletivo de rapper e produtores do qual saíram outros nomes de destaque do rap e R&B dos EUA, como Tyler, The Creator e Earl Sweatshirt).

Ambos, Péricles e Frank Ocean, habitam uma estética sonora que hoje é popular, mas chegou pelas beiradas. O pagode deriva do samba, hoje faz a cabeça de jovens em escala nacional e tem grande apelo por conta das canções de amor sofridas que rivalizam com a sofrência do sertanejo - mas, no caso do pagode, as dores de amor parecem mais autênticas e reais.

+++ LEIA MAIS: Frank Ocean retorna com Blonded Radio e lança primeira música inédita desde 2018; ouça

Frank Ocean, hoje um dos reizinhos do R&B contemporâneo, surgiu em um grupo de rap desordeiro e bagunceiro. O rap, desde a sua fundação, é transgressão. Foi o avesso de uma música pop extremamente branca que tocava nas rádios norte-americanas. Hoje, é o som mais ouvido pelos jovens de um país comandado pelo doido Donald Trump.

O artista norte-americano tem, aliás, relações próximas com o Brasil. Em 2019, ele foi flagrado no Rio de Janeiro, com uma camiseta de Santa Teresinha, em frente à Igreja do Botafogo. O Twitter, é claro, foi à loucura na época com especulações sobre o que fazia Ocean pelas nossas bandas. Virou meme. Memes, aliás, são a expressão de comunicação mais pura e bela dos brasileiros na atualidade, mas isso é tema para outro texto.

Péricles também é estrela de memes, ou seja, mais uma ligação entre esses dois ícones.

+++ LEIA MAIS: Inspirado por Frank Ocean e Blood Orange, Giovani Cidreira se reconstrói com mixtape minimalista

O amor por Frank Ocean no Brasil é tão grande que foi criado um bloco de carnaval dedicado a ele, chamado Baile do Frank Ocean. Outro exemplo: uma página no Facebook tem o nome de "Eu odeio todos os homens do mundo menos o Frank Ocean" e tem tiradas geniais a respeito do ícone Ocean.

Também em 2019, fãs de Ocean no Brasil notaram em Péricles o potencial único de interpretar algumas canções de Frank Ocean e criaram uma petição para que ele gravasse alguns covers. Claro, esse barulho chegou até o próprio Pericão.

No último sábado, 4, ele revelou em uma live compartilhada de Instagram com o perfil da distribuidora digital OneRPM, Péricles deu a notícia que todo o brasileiro precisava ouvir. Ele, sim, está estudando a obra de Frank Ocean.

+++ LEIA MAIS: Frank Ocean faz “serenata” para Brad Pitt em inusitada performance no FYF Fest

Veja abaixo o trecho da entrevista recortado pela página Baile do Frank Ocean (para assistir à entrevista inteira, clique aqui).

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Baile do Frank Ocean (@bailedofrankoceanoficial) on


No papo com Let Martins, Péricles é questionado sobre a possibilidade de gravar algo de Frank Ocean. Eis a resposta:

"Eu creio que um dia isso vai acontecer. Andrei pesquisando muita coisa sobre o Frank Ocean e o trabalho dele é diferenciado", disse Péricles. Com toda razão. Diferenciadíssimo.

Ele segue: "Não sei se caberia numa live de pagode. É um desafio e eu adoro desafios. Mais hora, menos hora, eu vou inventar alguma coisa aí e a gente vai ter Frank Ocean no pagode.
Vou dar um jeito aí. Alguma coisa vai ter que acontecer. O trabalho dele é, puxa vida... Merece muito a nossa atenção. Eu gosto de misturar, então, de repente, vem novidade aí, vamos ver."

Assim, sem pretensão, Péricles vestiu o manto do salvador. É ele quem unirá hipster e pagodeiros. O indie e o popular terão um único ícone, Pericão.

Ninguém mais é capaz de carregar esse peso de salvador e exibir um sorriso lindo nos lábios, entre um pagode sofrido e outro. Recentemente, nos DVDs Mensageiro do Amor Parte 1 e 2, Péricles, ele tem mostrado novas manobras vocais, absorvendo técnicas de cantores gospel para seu gogó de pagodeiro nato.

Ele mesmo disse que quer fazer a gente feliz, como vocês podem ouvir nessa música aqui:


Era isso que todo o brasileiro precisava, mesmo se não soubesse disso.