Perry Farrell está trabalhando em novo disco do Jane’s Addiction

O vocalista diz que já escreveu 60 músicas para o sucessor de The Great Escape Artist

Dan Hyman Publicado em 25/11/2012, às 10h40

Jane's Addiction no Lollapalooza
Thais Azevedo

Na maior parte dos últimos dois meses, Perry Farrell tem ficado confinado a uma cama na sua casa em Los Angeles, como resultado de uma cirurgia recente. Mas como o vocalista do Jane’s Addiction conta à Rolling Stone EUA, esse longo tempo “preso” o permitiu exercitar a composição de uma maneira que não fazia em anos. O cantor diz que escreveu cerca de 60 novas músicas nas últimas semanas e já começará a planejar o sucessor do disco The Great Escape Artist, do Jane's Addiction, em janeiro.

Entrevista: Perry Farrell fala sobre o Lollapalooza Brasil.

“Eu não tenho escrito esse tanto, ou sido tão prolífico, desde que eu comecei nos meus 20 anos”, diz o músico de 53. “Tem sido fantástico. Estou muito animado. Tudo vai começar muito bem e vamos nos reunir provavelmente neste período no ano que vem.”

Há alguns meses, Farrell contou à Rolling Stone EUA que estava interessado em continuar com a temática de escapismo exibida no disco anterior para o próximo trabalho em estúdio. Mas, agora, com esse novo lote de canções – uma delas resumidas por ele como “um pesadelo e um conto de fadas misturado em um só” –, ele mudou de ideia.

“Não será uma continuação de The Great Escape Artist”, diz ele sobre o álbum que está por vir. “Eu achava que seria uma boa ideia. Entretanto, acabei surgindo com esse novo direcionamento para o próximo álbum. Neste momento, eu quero um novo começo, com um novo ângulo.”

Farrell também admite que The Great Escape Artist - o primeiro disco de estúdio do grupo em quase uma década – não foi bem-recebido como ele esperava que seria. “Não fez barulho suficiente”, diz ele. “Se tivesse feito, eu teria continuado [na temática].” Um elemento que ele quer manter desde o disco anterior é a ênfase na teatralidade dos shows: “Eu vou levar isso para outro nível. Quero fazer coisas e experiências para o público que eles nunca tiveram. Eu quero que eles vão para casa e digam para os outros: “vocês precisam ir e vê-los’.”

Outro recente empreendimento sobre o qual Farrell se mostra animado é a contribuição do Jane’s Addiction para a trilha sonora do seriado Sons of Anarchy, do canal FX: uma sombria cover de “Sympathy for the Devil”, dos Rolling Stones, uma música cuja versão a banda já havia feito uma vez, no começo da carreira, em 1987, no disco homônimo de estreia.

“Eu achei que iria lá e, basicamente, refaria aquilo que tínhamos feito”, diz ele. “Mas eu estava errado.” Ao invés disso, a nova versão da banda é dirigida por uma guitarra hipnotizante em loop, que sustenta a voz de Farrell nesta sessão com Lúcifer dos Stones. “Há uma estranha tristeza escondida ali”, ele diz sobre os versos já muito estudados, e continua: “é o demônio admitindo que ele, de alguma forma, está sofrendo pelas coisas que ele fez”. Farrell faz uma pausa.

“Em alguns momentos, eu sinto que entendo o demônio muito bem.”