A Peste, obra de Albert Camus, é um dos livros mais vendidos na era do coronavírus

Doença é lembrada até mesmo na hora de escolher livro

Redação Publicado em 13/03/2020, às 10h06

None
Capa do livro A Peste, escrito por Albert Camus (Foto: Reprodução/BestBolso)

Não é todo mundo que o coronavírus afeta negativamente. Um dos beneficiados pela doença, por incrível que pareça, é A Peste, livro do escritor argelino Albert Camus e lançado originalmente em meados de 1947.

Isso acontece pois, na Europa, a obra é uma das mais vendidas em alguns países do continente, visto que A Peste retrata um contágio da população, só que mortal e vinda de ratos que aparecem do subterrâneo, muito diferente do coronavírus.

+++LEIA MAIS: Por que é tão importante cancelar shows e festivais durante pandemia do coronavírus?

De acordo com estatísticas levantadas pela Edistat, empresa francesa responsável por levantar estatísticas de vendas de livro na França, afirmou que, no país, as vendas de A Peste dobraram nos primeiros dois meses de 2020. 

Já na Itália, um dos países mais afetados pelo coronavírus, A Peste é um dos dez livros mais vendidos no país, de acordo com a revista Actuallité, da França.

+++LEIA MAIS: 7 filmes adiados por causa do coronavírus - Velozes e Furiosos, Lugar Silencioso e mais

A Peste mostra trabalhadores que descobrem a solidariedade em meio a uma doença horrível transmitida por ratos que assola a cidade de Oran, Argelia. Esse ponto de partida é usado como uma analogia aos horrores da Segunda Guerra Mundial, encerrada dois anos antes da publicação do livro.


+++ SESSION ROLLING STONE BRASIL: DELACRUZ - ANESTESIA