Peter Frampton processa gravadora por causa de royalties digitais

O cantor afirma que os lucros da distribuição online de seu trabalho não foram repassados de forma justa

Redação Publicado em 01/01/2012, às 09h44

Peter Frampton
Gregg Roth/Divulgação

Peter Frampton está processando sua gravadora por causa de royalties digitais que não foram pagos, informou o site da revista Billboard.

O cantor e compositor entrou recentemente com a ação contra a A&M Records alegando que os lucros de suas vendas digitais não foram distribuídos de forma justa. Frampton argumenta que deveria receber uma taxa mais alta em cima dos royalties dos downloads digitais do que aquela paga pelas cópias físicas que são vendidas.

Ele busca ser ressarcido pelo que não recebeu e contratou o advogado do meio musical Richard Busch, que anteriormente esteve envolvido em casos semelhantes e bem-sucedidos de royalties. Ele defendeu Eminem no processo que ajudou a estabelecer esse precedente legal no mundo das vendas musicais online. Frampton certamente espera que haja esse precedente legal – seu contrato com a gravadora que está sendo levado para a justiça é, ao que parece, “virtualmente idêntico” ao de Eminem. A Universal, empresa dona da A&M, afirma que a decisão no caso de Eminem não estabelece um precedente geral e se aplicou somente para aquele caso específico.

Essa tem sido uma temporada bastante fértil para batalhas legais no mundo da música. O processo de Frampton foi noticiado logo depois daquele anunciado pelo frontman do Village People Victor Willis, que atualmente está acionando a Scorpio Music e a Can't Stop Production para retomar o controle dos direitos autorais das canções de sua antiga banda. Bob Dylan, Bruce Springsteen e Tom Petty também estão tentando obter novamente o controle de suas propriedades intelectuais.