Pharrell Williams diz que condenação por plágio em "Blurred Lines" limita a arte

Ele e Robin Thicke foram condenados a pagar pouco mais de R$ 22 milhões ao espólio de Marvin Gaye

Redação Publicado em 19/03/2015, às 11h58 - Atualizado às 13h38

Cantor em audiência por plágio em "Blurred Lines"
Nick Ut/AP

O cantor Pharrell Williams falou pela primeira vez sobre a decisão da justiça que obriga ele e Robin Thicke a pagarem mais de R$ 22 milhões ao espólio de Marvin Gaye, por plágio de “Got to Give It Up”, no recente sucesso “Blurred Lines”.

Pharrell e Robin Thicke pagarão mais de R$ 22 milhões ao espólio de Marvin Gaye por plágio.

Em entrevista publicada nesta quinta-feira, 19, pelo The Financial Times, Pharrell disse que a condenação obstrui todo tipo de produção artística.

“O veredicto limita qualquer criador que está por ai fazendo algo que pode ter sido inspirado em outra pessoa. Isso vale para moda, música, design...tudo. Se perdermos nossa liberdade de sermos inspirados, um dia vamos acordar e a indústria do entretenimento estará congelada por disputas. Isso tem a ver com proteger o direito intelectual de pessoas que têm ideias”.

Pharrell Williams estrela coleção de jeans feitos com plástico reciclado dos oceanos.

“Tudo que está em volta de você em uma sala foi inspirado por algo ou alguma coisa. Matando isso, não existe mais criatividade”, completa o rapper.

Nessa quarta, 18, os filhos de Marvin Gaye publicaram uma carta ratificando a posição da família a respeito do assunto.

Fã de Marvin Gaye encontra passaporte do músico em vinil.

“Se ele (Gaye) estivesse vivo hoje, acreditamos que iria acolher a tecnologia disponível para os artistas e as diversas escolhas musicais e espaços acessíveis para fãs que podem baixar uma música a qualquer momento. Mas também acreditamos que ele estaria atento quanto à defesa dos direitos dos artistas. Ele também deu crédito onde era necessário”.

Pharrell Williams se junta à ONU para promover o Dia Internacional da Felicidade.

A família de Gaye está disposta a impedir a venda e a distribuição de “Blurred Lines” judicialmente, a não ser que um acordo sobre os futuros ganhos financeiros com a música seja alcançado. Além disso, Nona Gaye, filha do mito do soul, já sugeriu que vê plágio de outra canção do pai, "Ain't That Peculiar", no megasucesso “Happy”, também de Pharrell Williams.

Ao The Financial Times, Williams disse ainda não ter tomado uma decisão quanto à possibilidade de recorrer da condenação da justiça.

Ouça montagem de "Blurred Lines" e "Got To Give It Up":