Pulse

Pharrell e Robin Thicke pagarão mais de R$ 22 milhões ao espólio de Marvin Gaye por plágio

Autores de “Blurred Lines”, hit de 2013, teriam copiado “Got to Give It Up”, gravada em 1977 pelo astro do soul

Redação Publicado em 11/03/2015, às 09h49 - Atualizado às 13h04

Pharrell no palco. Precisamos mesmo de mais uma versão de "Happy"?
AP

Um júri em Los Angeles, Estados Unidos, condenou Pharrell Williams e Robin Thicke, compositores do hit “Blurred Lines”, de 2013, a pagar US$ 7,3 milhões (pouco mais de R$ 22 milhões) ao espólio do gênio da soul music Marvin Gaye por plágio.

Pharrell Williams lançará livro infantil inspirado no hit "Happy".

Os herdeiros de Gaye, assassinado em 1984 pelo próprio pai, processaram os artistas referidos por cópia de “Got to Give It Up”, gravada em 1977.

“Neste momento eu me sinto livre. Livre das correntes de Pharrell Williams e de Robin Thicke, e das mentiras que foram ditas”, disse a filha do cantor, Nona Gaye.

Fã de Marvin Gaye encontra passaporte do músico em vinil.

Richard Busch, representante da família, afirmou à Rolling Stone EUA que tentará impedir a venda e a distribuição de “Blurred Lines”, que arrecadou US$ 16,5 milhões, segundo documentos da corte. Busch admite a possibilidade de um acordo a respeito da divisão de ganhos futuros com a canção.

Pharrell Williams e Robin Thicke compareceram ao tribunal na semana passada para se defender. Na ocasião, Williams chegou a admitir que quando se ouve as duas músicas, “parece que você está tocando a mesma coisa”. Ainda assim, sustentou que não se tratava de plágio.

Morre aos 92 anos Anna Gordy Gaye, ex-esposa de Marvin Gaye.

Thicke cantou e tocou piano diante dos jurados e disse que estava intoxicado quando deu declarações anteriores sobre a influência de Marvin Gaye na composição da polêmica faixa. O músico ainda afirmou que estava enganado ao reivindicar parte do crédito da autoria dela.

Ouça essa montagem das duas músicas: