Phife Dawg, do A Tribe Called Quest, morre aos 45 anos

Rapper que batalhava contra diabetes esteve em todos os cinco discos do grupo de hip-hop

Rolling Stone EUA Publicado em 23/03/2016, às 10h41 - Atualizado às 10h58

Malik Taylor (Phife Dawg), do A Tribe Called Quest, em foto de novembro de 2015
Brian Ach/Invision/AP

Malik Taylor, o rapper conhecido como Phife Dawg e cujas rimas ajudaram a alçar o A Tribe Called Quest ao sucesso comercial e de crítica, morreu na nesta quarta, 23, aos 45 anos de idade. A Rolling Stone EUA confirmou a morte do rapper.

A causa da morte de Taylor ainda não foi anunciada, mas ele teve problemas de saúde durante muitos anos, sendo submetido a um transplante de rim em 2008 para lidar com uma longa batalha contra a diabetes.

“É uma doença de verdade”, disse Taylor em Beats, Rhymes & Life, o sincero documentário de Michael Rapaport, de 2011, sobre o grupo. “É como uma verdadeira droga. Sou basicamente viciado em açúcar.”

Taylor apareceu em todos os cinco discos de estúdio do grupo, mais notavelmente em The Low End Theory, de 1991, e Midnight Marauders, de 1993. Ele fazia os vocais roucos e em alta tonalidade que serviam como contraponto à abordagem mais suave e reta de Q-Tip.

O grupo se separou e se reuniu diversas vezes desde o lançamento do último álbum deles, Love Movement, de 1998. Como documentado em Beats, Rhymes & Life, eles se reuniram esporadicamente para apresentações ao vivo, mas pararam de gravar novos materiais.

Problemas de saúde impediram Taylor de gravar muito material solo, apesar de ele ter lançado um único disco solo: Ventilation: Da LP, em 2000. Em entrevista à Rolling Stone EUA no último mês de novembro, Taylor estava otimista sobre a saúde e os planos futuros de gravar.

“Estou em boa forma, mas tenho meus dias bons e meus dias ruins”, disse ele. “Mas estou mais ou menos em boa forma, então não posso reclamar muito”. Na mesma entrevista, Taylor revelou planos de lançar “Nutshell”, produzida por J Dilla, o primeiro single de um planejado EP chamado Give Thanks.

O rapper lançou um vídeo com a prévia da canção, mas a versão completa ainda não foi revelada. Antes de morrer, Taylor também trabalhou em Muttymorphosis, novo LP dele que funcionaria como “basicamente a história da minha vida”, e que ele esperava lançar este ano.