Phil Rudd, ex-baterista do AC/DC, tem sentença por ameaça de morte adiada

Inicialmente, o músico seria informado sobre a pena no dia 26 de junho

Redação Publicado em 10/06/2015, às 16h54 - Atualizado em 10/08/2015, às 11h41

Phil Rudd
Alan Gibson/AP

Phil Rudd, ex-baterista do AC/DC e réu de um processo por ter ameaçado de morte um funcionário e a filha dele, teve o anúncio da sentença adiado. A pena seria divulgada em 26 de junho, no entanto, Rudd terá de comparecer ao tribunal apenas no dia 9 de julho. Segundo o periódico neozelandês SunLive, a corte não informou o motivo do adiamento.

Galeria: "Relembre 10 casos de músicos que foram parar atrás das grades.

O músico se declarou culpado, durante um julgamento na Nova Zelândia, que aconteceu em 21 de abril, de ameaçar matar um empregado e a filha de dez anos do funcionário. O músico também se declarou culpado pela acusação de posse de metanfetamina e maconha.

O AC/DC faz parte da nossa lista de roqueiros bons de marketing.

Segundo informações do jornal local New Zealand Herald, Rudd telefonou ao empregado no dia 26 de setembro de 2014 fazendo ameaças de morte. À época, a polícia local fez uma busca na casa dele, localizada na cidade de Matua, na Ilha do Norte da Nova Zelândia, e encontrou metanfetamina e maconha.

Além da ficção: astros de filmes e séries que mataram pessoas na vida real.

Perante a declaração de Rudd, o juiz do tribunal de Tauranga manteve a liberdade condicional do músico, que receberá uma sentença definitiva no próximo dia 9 de julho. Craig Tuck, advogado do baterista, afirmou ao jornal local que tudo não passa de uma confusão gerada por uma "ligação mal-humorada".