Phil Spector é considerado culpado por homicídio de atriz

Produtor musical de artistas como Leonard Cohen e Beatles pode ganhar prisão perpétua pelo assassinato de Lana Clarkson, morta há seis anos na mansão do réu

Da redação Publicado em 14/04/2009, às 12h32

O produtor musical Phil Spector foi considerado culpado de homicídio de segundo grau (quando há intenção, mas não premeditação) por júri de seis homens e seis mulheres em tribunal de Los Angeles, na segunda, 13. Paira sobre o norte-americano a acusação de ter assassinado em sua mansão, no dia 3 de fevereiro de 2003, a atriz Lana Clarkson. Estrela de filmes B nos anos 80, ela foi alvejada por um tiro na boca e teria conhecido o suposto algoz horas antes, no clube noturno para o qual trabalhava como recepcionista, na Sunset Strip de Hollywood.

A defesa alega que Clarkson, 40 anos, deprimida com o desfecho da carreira, teria se suicidado. A versão não bateu com o testemunho de um ex-motorista de Spector, que afirmou ter visto seu ex-patrão deixar a casa, no dia do crime, com a declaração: "Acho que matei alguém". A promotoria convocou a depor, ainda, cinco mulheres que alegam ter sido ameaçadas após se recusar a acompanhar o produtor até a mansão.

Desde que começou a se aventurar pela área, nos anos 1960, Spector, hoje com 69 anos, garantiu vaga cativa no Olimpo musical. Trabalhou com nomes como Leonard Cohen, Tina Turner, Ramones e The Beatles.

A relação de Spector com o quarteto de Liverpool foi controversa. A insatisfação de Paul McCartney com os efeitos injetados pelo produtor no último disco da banda, Let It Be, levaram o ex-Beatle a lançar, em 2003, Let It Be... Naked - o mesmo álbum, mas sem intervenções de Spector como a inserção de orquestras em algumas faixas e o recurso Wall of Sound ("parede de som").

John Lennon e George Harrison, não tiveram a mesma opinião - contentes com o resultado, convidaram o norte-americano para produzir trabalhos da carreira solo.

Veredito final do caso Lana Clarkson sairá em 29 de maio

Os advogados de defesa protestaram, mas o juiz Larry Paul Fidler não quis saber: Spector terá de esperar a próxima audiência, marcada para 29 de maio, na prisão. Até agora, ele permanecia em liberdade, após pagar fiança de US$ 1 milhão (cerca de R$ 2,2 milhões). O histórico de violência, no entanto, fez com que o juiz optasse pelo encarceramento.

A pena do réu pode chegar a prisão perpétua. A mulher de Spector, Rachelle Short - a atriz e ex-modelo da Playboy de 30 anos com quem casou, discretamente, três anos após a morte de Lana Clarkson -, começou a soluçar após a leitura do veredito.

Na audiência desta segunda, 13, Spector - excêntrico confesso - prendeu ao terno um badge com a inscrição "Barack Obama Rocks!".