Pink Floyd processa sua própria gravadora

Grupo inglês, segundo mais lucrativo do selo, acusa EMI de erro no pagamento de royalties

Da redação Publicado em 20/04/2009, às 11h44

O Pink Floyd abriu um processo contra a EMI - sua gravadora desde 1967. De acordo com o jornal inglês The Observer, a banda alega não ter recebido o valor correto em royalties pelos discos lançados ao longo da parceria.

Sem divulgar o valor exigido, o grupo inglês estaria há três anos tentando negociar os pagamentos devidos, segundo informantes da indústria musical. Atrás apenas do conterrâneo Beatles em termos de vendas, o grupo atualmente liderado pelo guitarrista David Gilmour teria entrado em choque com Guy Hands, presidente do fundo de investimentos Terra Firma - que arrematou a EMI, em 2007, por 3,2 bilhões de libras (R$ 10,2 bi), incluídas 2,5 bilhões de libras (R$ 8 bi) em dívidas.

Especula-se que tomada das rédeas pelo Terra Firma tenha provocado a debandada de artistas do terceiro maior selo musical do mundo, como Radiohead e Paul McCartney. O corte de custos virou uma das preocupações capitais de Hands à frente da EMI.

Hoje, a gravadora tem em seu catálogo artistas como Beatles, Arctic Monkeys e Coldplay.