Planta & Raiz revisita sucessos da banda em disco de dub

O vocalista Zeider falou à Rolling Stone Brasil sobre Planta Adubada, marcha da maconha e os planos para 2012; ouça a nova versão de "Com Certeza"

Bruno Raphael Publicado em 15/12/2011, às 12h33 - Atualizado às 18h53

Planta & Raiz
Divulgação

O Planta & Raiz, um dos nomes mais conhecidos do reggae no Brasil, decidiu revisitar a carreira em seu novo álbum, Planta Adubada. Como o nome indica, a ideia é simples: pegar grandes hits da banda e encorpá-los com outros elementos – no caso, o dub, com tudo gravado em formato analógico. "Queríamos mostrar a nossa cara e fazer um 'reggão' de verdade, trazer nossa essência", explica o vocalista Zeider (o segundo na foto ao lado, da esquerda para a direita), em entrevista à Rolling Stone Brasil. O álbum, gratuito, estará disponível para download no site oficial da banda, a partir das 21h desta quinta, 15.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

No total, foram dez faixas regravadas (incluindo o hit "Com Certeza", que você pode ouvir abaixo) para Planta Adubada, todas produzidas por Buguinha (ao centro da foto), recifense que trabalhou anteriormente com Nação Zumbi e Mundo Livre S/A, entre outros. "Nós regrávamos todas as músicas na casa do Buguinha", conta Zeider, explicitando que a vontade era voltar às raízes da banda. "A gente vive pra cada vez mais buscar a essência do som dentro de nós mesmos", divaga o cantor.

A seleção de repertório, segundo o vocalista, consistiu na escolha das músicas que são conhecidas dos fãs. Já com projetos em mente para 2012, Zeider antecipa que a banda deve lançar um disco ao vivo contendo inéditas. "Estamos na pré-produção, ainda formando o repertório", revela. "Devemos gravar no comecinho do primeiro semestre de 2012."

Junto a Planta Adubada, será lançada, na Argentina, uma coletânea reunindo os sucessos do Planta & Raiz em seus 13 anos de carreira. "A gente quer expandir nossa música, velho", afirma Zeider, sobre a empreitada no mercado fonográfico latino-americano. "Isso é muito maneiro: a oportunidade de estar cantando em português do outro lado da fronteira é maravilhosa."

Analisando a produção do reggae no Brasil, Zeider concorda que o sertanejo universitário tirou o espaço do gênero no país. "Isso acontece porque o sertanejo universitário é a febre, brother. Todo lugar que você vai tá rolando", frisa. "Mas o nicho do reggae ainda é muito forte, a maioria dos shows do Planta é molecada de 16, 17 anos. Estão curtindo a gente com uma influência de 'irmão mais velho'. A tendência é o reggae sempre ir se renovando. Tem uma galera fazendo um som por aí, da minha geração mesmo. Ponto de Equilíbrio e o Mato Seco, por exemplo. Não é aquele barato de centenas de bandas que se sobressaem, mas sempre tem uma."

Descriminalização

O Planta & Raiz sempre foi, por meio das letras, favorável à descriminalização da maconha (“Planta que Brota da Terra”, por exemplo, com o versos “Não vamos mais lutar pra legalizar/ Se a natureza já legalizou”). No entanto, Zeider diz se eximir de manifestações a favor da legalização, como as marchas pela maconha que ocorreram ao longo de 2011 pelo Brasil. "Eu não sou ativista da maconha não, velho", afirma. "Acho maneiro a galera ter essa liberdade de se manifestar e de lutar pelo que uma grande parcela da sociedade acredita, que não vai fazer o mal que outros esperam que faça. Temos que ter liberdade para protestar, a liberdade é o essencial. Eu acompanhei [as marchas da maconha] pelos jornais, mas não participei ativamente não, porque tenho minha mulher e as crianças, sacou? O livre arbítrio em relação a isso não pode ser influenciado, é a parada mais natural da vida."

O Planta & Raiz lança Planta Adubada nesta quinta, 15, em show no Beco 203, em São Paulo. O álbum estará disponível em edição limitada de vinil.

Planta & Raiz lança Planta Adubada

15 de dezembro, às 21h

Endereço: Rua Augusta, 609 - São Paulo (Beco 203)

Preço: R$ 20