Policiais militares processam Rita Lee

Cantora usou os termos “cachorro” e “cavalo” para se referir aos PMs em show no último mês de janeiro

Redação Publicado em 10/05/2012, às 11h27 - Atualizado às 11h36

Rita Lee
Thais Azevedo

Rita Lee está sendo processada por pelo menos 16 policiais militares, segundo informou o jornal O Estado de S. Paulo. De acordo com o advogado Plínio Karlo, que representa sete policiais, eles foram ofendidos no show de despedida da cantora, em Aracaju, que no palco usou termos como “cachorro” e “cavalo” para se referir aos PMs.

Karlo pede R$ 24.880 para cada policial que representa. Segundo ele, o fato de a cantora ter afirmado em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, sofrer de transtorno bipolar não irá interferir na ação judicial.

Ainda de acordo com o O Estado, Rita Lee poderia doar o cachê que recebeu pela apresentação (R$ 115 mil), a pedido da Justiça, ao Fundo Municipal para Criança e Adolescente da Barra dos Coqueiros, em Aracaju, para que a ação fosse descontinuada.

Rita anunciou sua aposentadoria dos palcos no início deste ano. O último show aconteceu em 28 de janeiro no Festival Verão Sergipe. Depois de a cantora ter, segundo depoimento, visto os PMs agredindo pessoas no meio do público, ela se pronunciou ao microfone durante o evento. Logo após o término do show, Rita foi detida pela polícia; ela foi liberada algumas horas depois, tendo como testemunha a ser favor a vereadora Heloísa Helena.

Entrevista: Rita Lee lança primeiro disco de inéditas em dez anos e, embora queira distância dos palcos, pretende gravar mais no futuro.