Por que alguns países ainda não receberam vacina contra Covid-19?

Apesar da aceleração da vacinação em algumas nações, ainda há muita desigualdade na distribuição dos imunizantes

Redação Publicado em 12/04/2021, às 19h38

None
Vacinação contra a Covid-19 (Foto: David Greedy / Getty Images)

Apesar do avanço da vacinação ao redor do mundo, alguns países ainda não receberam uma única dose de vacina contra a Covid-19. De acordo com a OMS, há uma grande discrepância entre as nações - Gibraltar, por exemplo, tem quase 100% da população vacinada, enquanto Nicarágua não tem nem doses. As informações são da Época.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, comentou sobre a desigualdade da distribuição de vacinas. Recentemente, ele pediu o aumento da produção global, assim como a partilha justa. 

+++LEIA MAIS: Brasil vive ‘inferno furioso de surto’ da pandemia, diz OMS

Ainda há diversos países que não receberam doses do imunizante. São 10 na África, como Líbia e Madagascar, e outros na Ásia Central. Várias nações não constam nas estatísticas de vacinação, como Cuba e Coreia do Norte, mas, segundo a Época, a falta de informações não significa que nenhuma vacina foi recebida pelos países.

Muitos dos países que sofrem com a falta de vacinas estão no continente africano, e alguns têm governos que acreditavam no combate do vírus de outras formas. "Com relação à África, temos a boa notícia de que 44 países já receberam o fornecimento de vacinas. Mas, ao mesmo tempo, isso também significa que dez países não receberam até agora nenhuma vacina", explicou (via Época) Clemens Schwanhold, da ONG de combate à pobreza ONE.

+++LEIA MAIS: Após recorde de mortes por Covid-19, Bolsonaro anuncia: ‘Não vai ter lockdown nacional’

Por que as vacinas não chegam?

Para tentar levar vacina a todos, criou-se o programa Covax. Nele, os Estados-membros da OMS foram divididos em dois grupos: um de 98 países mais ricos e outro de 92 mais pobres, cuja vacina seria financiada pelas nações com mais dinheiro. No entanto, não há doses disponíveis.

Sonja Weinreich, da organização Brot für die Welt (Pão Para o Mundo), explicou: "O problema é que não há muito mais doses de vacinas disponíveis porque a UE e os Estados Unidos já asseguraram a grande maioria delas. Portanto, este mecanismo não vem sendo capaz de se impor adequadamente porque essa solidariedade simplesmente não existe."

+++LEIA MAIS: Bolsonaro menospreza recorde de óbitos por Covid-19: 'Em todo local está morrendo gente'

Com o avanço da pandemia ao redor do mundo, a exportação de vacinas em países fabricantes está sendo restringida. A Índia, importante para o fornecimento mundial de vacinas, restringiu a exportação, e os EUA também não estão transportando doses para outras nações.

De acordo com a Época,  objetivo do programa Covax  é vacinar, pelo menos, 20% da população de todos os 92 países beneficiários até o final de 2021. Com a aceleração da vacinação, em alguns locais Sonja Weinreich acredita que será possível alcançar a meta: "Na Europa, a implementação da vacinação está começando a ganhar velocidade, e muito mais vacinas devem estar disponíveis."


+++ LAGUM | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL