Pulse

Por que a Apple decidiu pelo fim do iTunes e o que isso significa?

A empresa optou por encerrar a era do player clássico criado em 2001. Mas quais os impactos disso para os amantes da música?

Redação Publicado em 04/06/2019, às 09h24

None
Logo da Apple Music (Foto:Reprodução/Apple)

Os últimos dias foram repletos de rumores sobre a suposta morte do iTunes. Mas, na última segunda, 3, a Apple anunciou que a situação, apesar de apresentar mudanças, não é tão dramática quanto a internet sugeria.

O tão amado player que acompanhou incontáveis iPods não vai chegar ao fim, mas vai, para explicar de forma simples, ser dividido em três outros serviços. Essa decisão vem como uma forma de tentar resolver uma das maiores reclamações: a de que haviam sido adicionadas funcionalidades demais ao iTunes, o que impedia o programa de exercer simples e tranquilamente sua função primária: tocar música.

Essas três apps já são familiares. Primeiro, o próprio Apple Music, que tem como objetivo oferecer única e exclusivamente aquilo que seu nome diz, e claro, será voltado para os assinantes do serviço de streaming.

Os outros dois serão o Apple Podcasts e Apple TV. Ou seja, houve apenas a separação de tudo aquilo que existia dentro do nome iTunes.

Mas o que isso significa para os amantes de música? Separamos algumas perguntas que podem ser úteis para entender essa nova fase da Apple.

Minha biblioteca do iTues vai desaparecer? 

Não. De acordo com um comunicado oficial divulgado pela empresa, os usuários "terão acesso a suas bibliotecas inteiras, independente se forem músicas baixadas, compradas ou extraídas de um CD". Então não se preocupem.


A loja do iTunes vai fechar?

Não também. Se você é daqueles que gosta de comprar suas próprias músicas individuais ou discos ao invés de apenas baixar em um aplicativo de streaming, pode ficar tranquilo que essa opção continuará disponível.


O aplicativo Apple Music vai funcionar em Windows?

E mais uma vez a resposta é não. Afinal de contas, a Apple nunca fez muita questão em aderir à integração de dispositivos que não fizessem parte da sua própria marca.


Qual o modelo mais antigo de Mac que irá suportar os novos apps?

A Apple ainda não divulgou essa informação. Mesmo assim, não podemos esquecer que a fabricante não constuma oferecer muito suporte para dispositivos minimamente antigos. mas aguardaremos a revelação oficial para tirar nossas próprias conclusões.