Pulse

Por que BTS é "os Beatles da geração Youtube"? Empresário coreano explica

Bang Si-Hyuk fez a declaração na primeira Korean Culture Summit, que contou com a presença do presidente sul-coreano Moon Jae-in

Redação Publicado em 26/11/2019, às 19h11

None
BTS (Foto: Richard Brian / SIPA/ AP)

Na última segunda, 25, ocorreu a ASEAN-ROK Culture Innovation Summit, uma cúpula que contou com a presença de diversos líderes de países da Associação de Nações do Sudeste Asiático(ASEAN), inclusive o presidente sul-coreano Moon Jae-in. Além de  importantes figuras políticas, o encontro contou com a participação de empresários como Bang Si-Hyuk, CEO e fundador da Big Hit Entertainment - gravadora sul-coreana responsável pelo sucesso global do grupo BTS.  

+++LEIA MAIS: Por que é injusto que o BTS não tenha sido nomeado a nenhum Grammy?

Bang Si-Hyuk subiu ao palco em fala que incluiu K-pop, BTS, YoutubeBeatles. Durante o discurso de Bang, o empresário - além de mostrar uma performance ao vivo de BTS da canção "Idol" - falou sobre suas perspectivas sobre "conteúdo excepcional que ainda podemos reconhecer" atualmente no que nomeou - várias vezes - de quarta revolução industrial.

Segundo o CEO, atualmente, a tecnologia possibilita que milhões de pessoas acessem música por meios digitais - inovações as quais ajudaram a alavancar grupos como BTS

+++ LEIA MAIS: BTS, Taylor Swift ou Billie Eilish: quem é mais popular? 

"Com essa mesma tecnologia, o BTS, que veio de uma pequena empresa de produção daqui de um país do leste da Ásia, ressoou com o mundo. O público global se tornou fanático pelos videoclipes em que músicos coreanos cantam no idioma coreano e dançam," disse o empresário.

Bang completou: "Em todo o mundo, as letras, diálogos e mensagens do BTS são traduzidos e compartilhados em todo o mundo, o que transformou o BTS nos Beatles da geração do YouTube e um herói na periferia. Comprovou a existência e o valor da tecnologia do YouTube."

+++ LEIA MAIS: Qual é o integrante mais rico do BTS e por quê? 

O objetivo da cúpula foi reunir grandes personalidades da política, cultura e inovações em uma conversa sobre cultura asiática e tecnologia. O evento contou, inicialmente, com discurso de Moon Jae-in sobre taxa de crescimento anual de 8% para seus mercados de conteúdo e com agradecimentos aos  países da ASEAN por serem os primeiros a reconhecer e apoiar exportações da cultura coreana. 

A cúpula terminou com uma apresentação de Brian Chow, fundador e CEO do iMe Group, cuja carreira é destinada a expandir shows de K-pop para mercados estrangeiros. Chow compartilhou idéias sobre como a cena do K-pop se transformou no nível nomeado por ele de "estágio principal" em países como Malásia, Taiwan e Filipinas, enquanto está em "estágio de expansão" em muitos países ocidentais como Estados Unidos, Austrália e Brasil. 

+++ LEIA MAIS: Billie Eilish repreende fãs que se opõem à possível parceria com BTS: "isso é tão cruel"

A apresentação do CEO também contou com análises de 2018 do Youtube, onde o "tráfego global de vídeos de K-pop atingiu 26,5 bilhões de visualizações." Segundo Chow, os 20 principais artistas de K-pop mais vistos no YouTube foram liderados pelo BTS, seguidos por  BLACKPINK, TWICE, MOMOLAND, EXO e outros 15 artistas compostos de boy bands e girl groups, exceto cantores solo PSY - do hit "Gangnam Style" - e IU.