Por que DC manteve Amber Heard em Aquaman 2? Produtor Peter Safran responde

Produtores de Aquaman 2 não 'cederam à pressão dos fãs' para substituir Amber Heard: 'Precisamos fazer o melhor para o filme'

Marina Sakai (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 30/07/2021, às 16h41

None
Amber Heard como Mera em Aquaman (Foto: Reprodução)

Amber Heard foi introduzida como Mera, a princesa de Xebel, em Liga da Justiça (2017) e continuou no papel em Aquaman (2018) e Liga da Justiça de Zack Snyder (2021). A atriz deve retornar para a sequência protagonizada por Jason Momoa,Aquaman and the Lost Kingdom, previsto para 2022, apesar de muita pressão dos fãs do Universo Estendido DC para não trazê-la de volta.

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Amber Heard (@amberheard)

 

Heard foi casada com Johnny Depp de 2015 a 2017. Hoje, os atores estão envolvidos em uma batalha judicial com acusações de violência verbal e física de ambas as partes, de acordo com informações do Screen Rant. O intérprete de Jack Sparrow em Piratas do Caribe (2003) deixou a franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam (2016). Por isso, fãs do DCEU pediram a substituição da atriz de Mera.

+++LEIA MAIS: Emilia Clarke como Mera? Arte imagina atriz em Aquaman 2 como substituta de Amber Heard

Quando as produções começaram, alguns rumores apareceram dizendo que Heard fora demitida, junto de uma petição do público com mais de um milhão de assinaturas pedindo a substituição da atriz em Aquaman and the Lost Kingdom. O produtor do longa Peter Safran, no entanto, afirmou como a pressão dos fãs não teve nenhum efeito.

Em entrevista ao Hero Nation, do Deadline,Safran confirmou a volta de Heard como Mera. "Não acho que algum dia vamos ceder à pressão dos fãs, honestamente. Precisamos fazer o melhor para o filme. Sentimos que se isso significa James Wan e Jason Momoa, também deveria ser Amber Heard."

+++LEIA MAIS: A volta de Amber Heard: atriz se pronuncia sobre Aquaman 2

Os produtores do longa estão cientes das opiniões do público circulando na internet, mas "isso não significa que precisamos reagir ou tomá-lo como um evangelho ou concordar com os desejos," nas palavras de Safran. 


+++ 15 ANOS DE GISELE BÜNDCHEN NA CAPA DA ROLLING STONE BRASIL | ENTREVISTA