Por que Jennifer Lopez e Shakira não foram pagas pelo show no Super Bowl?

As estrelas de ascendência latina atraíram multidões para o Sun Life Stadium - mas não receberam cachê para se apresentar no maior concerto de 2020; entenda

Redação Publicado em 06/02/2020, às 09h35

None
Jennifer Lopez e Shakira se apresentam no Super Bowl (Foto: Instagram / Reprodução)

Enquanto as equipes de futebol americano San Francisco 49ers e Kansas City Chiefs batalhavam no campo, o público voltava-se para a apresentação Jennifer Lopez e Shakira durante o show da Pepsi no intervalo do Super Bowl LIV.

+++ LEIA MAIS: De onde é Jennifer Lopez? Qual é a idade da Shakira? As principais buscas durante o Super Bowl

Com mais dançarinos de apoio do que nunca, as estrelas de ascendência latina atraíram multidões para o Sun Life Stadium - mas por que elas não receberam cachê para aparecer no maior concerto de 2020?

A NFL (National Football League) tem um histórico antigo de não pagar os artistas que se apresentam no intervalo do Super Bowl. No entanto, eles cobrem todas as despesas de produção relacionadas à performance.

De acordo com o Wall Street Journal, os últimos shows - que costumam durar menos de 15 minutos - custaram mais de US$ 10 milhões à NFL, com iluminação elaborada, montagem de palco, trocas de roupa, equipe de produção, impostos, viagens, etc.

Para falar a verdade, a NFL já considerou cobrar para que os artistas tivessem a oportunidade de se apresentar, mas isso ainda não saiu do papel.

De acordo com a Forbes, um show no intervalo do Super Bowl "é o maior veículo promocional para do planeta" e, por isso, os músicos renunciam ao cachê em troca de publicidade.

A audiência televisiva do Super Bowl conta com mais de 100 milhões de espectadores - e a indústria da música sabe disso.

Em 2018, os fluxos do Spotify de Justin Timberlake aumentaram 214% cerca de uma hora depois que ele se apresentou no intervalo do Super Bowl. No ano anterior, Lady Gaga subiu 60 posições nas paradas da Billboard em menos de uma semana, conquistando o segundo lugar do ranking. Após a apresentação de Beyoncé em 2013, ela viu um aumento surpreendente nas vendas de ingressos para shows e um aumento de 100% nas pesquisas online.

Maroon 5 e Travis Scott também se apresentaram durante o intervalo do Super Bowl em 2019. Desde então, o Maroon 5 aumentou sua receita por turnê de US$ 200 mil para US$ 1,7 milhão por cidade. Enquanto isso, Scott dobrou sua renda e agora está ganhando quase US$ 1 milhão por cada parada em sua turnê atual. 

Parece que Lopez e Shakira fizeram uma escolha ao se apresentar no Super Bowl. De acordo com a Nielsen Music, as músicas tocadas durante o intervalo apresentaram um aumento surpreendente de 1,013% nas vendas. Houve um total de 16 mil downloads digitais no domingo e Shakira recebendo o maior aumento no Spotify, com mais de 2.135% de salto em seu single: "Empire".

 


+++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL