Por que Joe Strummer sumiu pouco antes de uma das principais turnês do The Clash em 1982?

Os integrantes do The Clash precisaram pedir para um antigo amigo da banda encontrar o vocalista

Redação Publicado em 07/04/2020, às 12h28

None
Joe Strummer (Foto: Globe Photos / Media Punch / IPX)

Joe Strummer, vocalista do The Clash, abandonou os integrantes da banda e sumiu pelo mundo pouco antes de iniciar uma das principais turnês do grupo pela Europa e lançar o quinto disco da banda, Combat Rock, em 1982.

Enquanto o The Clash estava no auge da fama mundial, as brigas entre Strummer e o guitarrista Mick Jones aumentavam e desestabilizam a relação entre os músicos do grupo. Além disso, o vício em drogas descontrolado do baterista Topper Headon também trazia problemas para as estrelas do rock. 

Então o empresário Bernie Rhodes aproveitou as circunstâncias para colocar em prática um plano arriscado para aumentar as vendas de ingressos, que não estavam satisfatórias. Rhodes pediu para Strummer viajar para o Texas e fingir que desapareceu, assim, os fãs ficariam intrigados com o mistério e gastariam dinheiro para vê-lo ao vivo.

+++ LEIA MAIS: Como The Clash se tornou rei de Nova York com 17 shows em 1981?

Porém, o plano do empresário não contava com a possibilidade de Strummer realmente fugir. No documentário Joe Strummer: The Future Is Unwritten, o vocalista relembrou que foi para a capital francesa e disse: “Eu pensei que seria uma boa piada se eu nunca ligasse para Bernie [...] Ele estaria pensando: ‘Onde está o Joe?’. E eu corri na maratona de Paris também”.

Strummer e a namorada Gaby Salter passaram semanas em Paris. E após as vendas de ingressos crescerem, elas diminuíram novamente. No final, os shows da turnê precisaram ser adiados.

+++ LEIA MAIS:  Por que o último show de Mick Jones com The Clash terminou em fiasco? Entenda

Para localizar novamente o vocalista, a banda enviou para França um antigo amigo, Kosmo Vinyl, que rapidamente encontrou Strummer depois de achar o bar favorito dele na cidade. Enfim, o The Clash realizou os shows marcados e, mais tarde, o vocalista revelou para a NME por que havia fugido. 

 “Bem ... era algo que eu queria provar para mim mesmo: que eu ainda estava vivo[...] É como ser um robô, estar em uma banda ... em vez de ficar louco, acho melhor fazer o que fiz durante um mês”.

Ele completou: “Acho que eu teria começado a beber muito na turnê, talvez. Começaria a ser petulante com o público, o que não é o tipo de coisa que você deve fazer”.


+++ DISCOGRAFIA DO THE STROKES: OS ALTOS E BAIXOS DOS ARRUACEIROS DE NOVA YORK