Por que Lemmy preparou um show de despedida do Motorhead em 1976?

Em entrevista não publicada, o lendário Lemmy Kilmister falou sobre o difícil início da carreira do Motorhead

Redação Publicado em 18/06/2021, às 10h08

None
Lemmy Kilmister (Foto: Ian Gavan / Getty Images)

Atualmente, o Motörhead é considerado uma grande influência para as novas gerações do heavy metal e hard rock - no começo do grupo, contudo, não era bem assim. Um ano depois do grupo ser fundado, Lemmy Kilmister preparou um show de despedida da banda. 

A Rolling Stone EUA descobriu uma entrevista nunca publicada na qual Lemmy diz à Hot Press como se sentiu após a NME classificar o Motörhead como “a pior manda do mundo”, em 1976. Conforme noticiado pela UCR, o músico lendário pensou em desistir:

+++LEIA MAIS: Cinzas de Lemmy Kilmister foram colocadas em balas e distribuídas entre amigos

“Nada estava acontecendo para nós. Fizemos um álbum para a United Artists (UA) que eles se recusaram a lançar. Parece que eles esperavam que fizéssemos um álbum pop ou algo assim. Além do mais, a empresa não nos deixaria sair do contrato com eles. Tínhamos feito um single para Stiff, ‘Leaving Here’, e o UA bloqueou seu lançamento. Então, sentimos que não havia para onde ir,” disse Lemmy na entrevista.

Devido às críticas negativas, o músico revelou que a banda, inclusive, organizou um show de despedida - e foi ali que a situação começou a mudar: “Reservamos um show de despedida no Marquee em Londres, e eu perguntei a Ted Carroll, que é dono da Chiswick Records e era meu amigo, se ele gravaria isso,” explicou o fundador do Motörhead.

+++ LEIA MAIS: 5 vezes em que Lemmy, do Motorhead, foi uma pessoa incrível

Apesar do esforço para a realização do show de despedida, a apresentação, que não aconteceu, levou à gravação do disco de estreia da banda: "A sorte estava do nosso lado porque ele não conseguiu o equipamento para o clube, e para compensar, nos ofereceu dois dias no estúdio. Gravamos todo o álbum Motorhead. Ele saiu em 1977, porque nessa época o contrato com a United Artists havia acabado e, de repente, estávamos do nosso jeito," concluiu.

Assim, a banda continuou a fazer sucesso, e ficou em atividade de 1975 até 2015, quando Lemmy Kilmister morreu, aos 70 anos, após lutar contra um câncer de próstata. No dia seguinte, o baterista Mikkey Dee afirmou que o grupo chegou ao fim.

+++LEIA MAIS: Por que Ozzy Osbourne considera Lemmy Kilmister um 'Deus do Rock'?


+++ URIAS | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL