Por que o bebê de CGI de Crepúsculo era tão feio - e como quase foi pior?

Renesmee, filha de Edward Cullen e Bella Swan em 'Amanhecer Parte 2', era para ser um "bebê maduro", mas acabou sendo assustador

Redação Publicado em 26/02/2020, às 19h20

None
Cena de Renesmee em Amanhecer - Parte 2 (Foto: Reprodução)

O último filme da saga Crepúsculo foi lançado em 2012 e dividiu opiniões, principalmente pelo CGI, imagens de computação gráfica. Em Amanhecer - Parte 2, nasce Renesmee, filha metade humana e metade vampira de Edward Cullen (Robert Pattinson) e Bella Swan (Kristen Stewart) - e a aparência dela é, no mínimo, bizarra.

+++LEIA MAIS: 6 vezes que Robert Pattinson mostrou que realmente não gosta de Crepúsculo

Segundo o Screen Rant, a adaptação das histórias de Stephenie Meyer para as telonas, precisava apresentar ao público uma bebê que, apesar de fisicamente comum, fosse mentalmente madura. No entanto, o resultado foi um recém-nascido cujos efeitos visuais do rosto não combinaram com o corpo, uma aparência estranha a qual, surpreendentemente, poderia ser pior. 

Uma reportagem dos bastidores da saga Crepúsculo revelou a aparência original e assustadora de Renesmee, apelidada de “Chuckesmee” pela produção. A bebê seria interpretada por uma boneca mecânica a qual os próprios atores não ficavam confortáveis por perto.

+++LEIA MAIS: Filmagens de Crepúsculo mostram Robert Pattinson com dificuldades para dar cambalhotas

Segundo a produtora Wyck Godfrey, Chuckesmee é “um dos bebês de computação gráfica mais aterrorizantes que nunca foram vistos no cinema. Apesar da versão robótica não ter sido vista nas telonas, o resultado de Renesmee também não foi muito bom, principalmente pelas exigências da produção, cujo objetivo era um "bebê maduro”.

Confira imagem de Chuckesmee:

chuckesmee


+++ SESSION ROLLING STONE: RUBEL TOCA MANTRA