Pulse

Por que Paul McCartney não usava drogas como os outros integrantes dos Beatles?

Apesar de comentar que era atraído pelo “fim ritualístico" de algumas substâncias, o músico não continuou com o uso delas

Redação Publicado em 01/12/2019, às 13h00

None
Paul McCartney (Foto: Tim Sharp / AP)

Na biografia Many Years from Now, lançada em 1997, Paul McCartney revelou a relação dele com drogas ilícitas.

O músico comentou sobre ter fumado maconha durante décadas, mas, ao contrário dos outros integrantes dos Beatles, McCartney não gostava dos efeitos colaterais de algumas substâncias.

+++ LEIA MAIS: Sem saber, Paul McCartney escreveu "She's Leaving Home" para fã que ele já conhecia; entenda

Apesar de comentar que era atraído pelo “fim ritualístico” da cocaína, o britânico “não achava inteligente” experimentar a droga. Ele tinha duas razões para isso: "Número um, você não permanece alto. O mergulho depois disso é melancólico e eu não estava acostumado. O outro motivo era apenas uma coisa física com os arranhões na parte de trás do pescoço, quando descia pela parte de trás do nariz e tudo morria!”.

Para além desse tipo de substância, Paul McCartneyconfessou em entrevista ao Daily Mirror em 2003 que ele acidentalmente já provou heroína. “Eu não sabia que havia pego  [no começo]. Acabei de receber algo, fumei e descobri o que era”.

+++ LEIA MAIS: "Ob-La-Di, Ob-La-Da", dos Beatles, é a música pop mais próxima da perfeição; entenda

O cantor continua: “Ela não fez nada comigo, o que foi uma sorte, porque eu não teria imaginado seguir por esse caminho”.

Os Beatles tinham um histórico com o uso de drogas ilícitas, mas McCartney deixou claro que isso não os impedia de continuar trabalhando. “A escrita era muito importante para a gente simplesmente estragar tudo ao ficar fora de si o tempo todo”.