Por que Yoko Ono deixou John Lennon assinar sozinho a autoria da música ‘Imagine’?

Durante quase 50 anos, a artista foi omitida dos créditos do clássico lançado em 1971

Redação Publicado em 29/01/2020, às 12h28

None
John Lennon e Yoko Ono (Foto: AP)

Em 1971 John Lennon lançou aquela que seria o maior hit da carreira solo dele, além de, com uma mensagem política bem clara, se tornar o hino de qualquer um que defendesse a paz.

Mas por que o clássico, inspirado em poemas escritos por Yoko Ono, esposa do ex-Beatle, para o livro Grapefruit (publicado originalmente em 1964), não contava com o nome dela nos créditos?

+++LEIA MAIS: Primeira esposa de John Lennon, Cynthia sabia que o ex-Beatle teria um romance com Yoko Ono

O cantor e compositor falou, em uma entrevista à BBC em 1980, que naquela época "eu era mais egoísta, um pouco mais machão. Eu meio que escondi a contribuição dela."

Mas em 2018, em conversa com o site NME, Yoko contou a versão dela sobre essa história, e não parece ter muito a ver com a contada pelo marido, pois culpa exclusivamente a indústria fonográfica:

"A indústria da música acompanha o público para fazer dinheiro. Se tulipas se tornam muito populares, eles provavelmente criariam milhares de músicas sobre tulipas."

+++LEIA MAIS: ‘Eram duas pessoas em uma’: Ringo Starr comenta relação entre John Lennon e Yoko Ono

E em outra entrevista, dessa vez ao The Guardian, ela se aprofundou de forma mais direta e menos poética no assunto. "Sentimos que seria melhor com o nome do Lennon. Músicas as vezes têm o próprio poder e significado, então 'Imagine' com certeza ficou melhor com o nome do John naquela época", explicou

Apenas em 2017, quase 50 anos depois do lançamento da canção, Yoko Ono foi devidamente mencionada nos créditos da música.


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL