Por que Zack de la Rocha saiu do Rage Against The Machine em 2000?

Segundo site, dois motivos levaram Zack de la Rocha a deixar a banda em 2000; e um deles foi "humilhante" para o vocalista

Itaici Brunetti Publicado em 05/05/2021, às 16h20

None
Zack de la Rocha, Tim Commerford e Tom Morello do Rage Against The Machine (Foto: AP Photo/Branimir Kvartuc)

Com quatro álbuns de estúdio e hits como "Bombtrack", "Killing In The Name" e "Bulls On Parade", o Rage Against The Machine se tornou uma das bandas mais explosivas da década de noventa. No entanto, no ano 2000 o vocalista Zack de la Rocha deixou o grupo. 

Mas quais foram os motivos que levaram Zack de la Rocha a abandonar o Rage Against The Machine no auge da carreira? De acordo com o site Far Out Magazine, duas possíveis razões o fizeram adotar tal atitude: brigas internas e uma situação "humilhante" que envolveu o baixista Tim Commerford

+++LEIA MAIS: Acusado de privilégio branco, Tom Morello responde: 'Não sou branco'

Com integrantes fortemente politizados e ideais de esquerda - o guitarrista Tom Morello, por exemplo, estudou política em Harvard e o baixista Tim Commerford é conhecido como um artista politizado -, o Rage Against The Machine se tornou uma luta interna constante. Eles passavam boa parte do tempo discutindo. 

Segundo Tom Morello, a saída de Zack de la Rocha foi uma surpresa, mas não totalmente inesperada. "Ele planejava tirar de 18 meses a dois anos de folga da banda. Ele não iria escrever músicas do Rage ou tocar outro show até 2003. Então, [sua saída] foi uma surpresa. Fiquei desapontado porque, em 2003, estaríamos agendando uma turnê mundial", disse o guitarrista. 

+++LEIA MAIS: Tom Morello afirma que Rage Against the Machine tinha ‘zero ambição comercial’ no começo da carreira

No comunicado que Zack de la Rochaenviou à imprensa em 18 de outubro de 2000 ficou explícito que, devido às brigas, o sentido do Rage Against The Machine tinha se perdido para ele. 

"Sinto que é necessário abandonar o Rage, pois não estamos conseguindo tomar decisões em conjunto. Já não funcionamos mais como um grupo e, eu acredito que esta situação está destruindo os nossos ideais políticos e artísticos. Estou muito orgulhoso com o nosso trabalho, como ativistas e como músicos", escreveu Zack

Segundo o artigo da Far Out Magazine, um outro motivo o levou a deixar a banda. No MTV Awards de 2000, o baixista Tim Commeford escalou uma estrutura que havia no palco do evento durante o momento em que o Limp Bizkit recebia o prêmio de Melhor Banda de Rock do Ano, vencendo o Rage Against The Machine.

Zack de La Rocha se sentiu tão envergonhado e humilhado com a atitude do companheiro de banda que foi embora do MTV Awards mais cedo. 

+++LEIA MAIS: Conheça Mary Morello (mãe de Tom Morello): aos 96, ativista política, a favor do rock e contra o racismo

Após a saída do vocalista, o Rage Against The Machine lançou o álbum de covers Renegades (2000), e os integrantes remanescentes se juntaram ao vocalista Chris Cornell, do Soundgarden, para fundar o Audioslave

Com o término do Audioslave em 2007, o Rage Against The Machine se reuniu para shows e chegou a tocar uma única vez no Brasil, no festival SWU, em 2010. Para 2022, a banda anunciou uma turnê norte-americana ao lado do grupo de pap Run The Jewels (se a pandemia do coronavírus permitir). 


+++ KONAI | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL