Pulse

Porcos voaram: o dia em que o Pink Floyd deixou animal inflável escapar no céu da Inglaterra

Pigs will fly! O bicho fazia parte do ensaio de fotos para a capa de Animals, disco de 1977

Redação Publicado em 02/12/2019, às 18h14

None
Capa de Animals, do Pink Floyd (Foto: Reprodução)

Animals, disco de 1977 do Pink Floyd, trouxe em sua capa a icônica foto de um porco voando entre as chaminés de uma usina termoelétrica de Londres, Inglaterra. Depois, o símbolo do  porco voador viria a ser um dos conhecidos da banda, assim como o prisma de Dark Side of the Moon. 

As fotografias da capa daquele disco foram feitas no dia 2 de dezembro de 1976 - há exatos 43 anos. Mas nem tudo correu como o planejado. Principalmente porque o porco inflável “recheado” com gás hélio escapou das cordas de contenção.

+++ LEIA MAIS: 40 anos de The Wall: 14 motivos para amar o disco do Pink Floyd

O bicho saiu voando pelo céu. Parou só no dia seguinte, em uma fazenda de Kent, cidade vizinha. E enfureceu o dono do terreno, que reclamou que o porco assustou as vacas dele enquanto pastavam.

Aubrey Powell, diretor da empresa responsável pelas fotos, chegou a ser preso. Um golpe de má sorte, pois, inicialmente, o empresário considerou a hipótese catastrófica do bicho escapar, e contratou um atirador para derrubá-lo caso acontecesse.

+++ LEIA MAIS: David Gilmour diz que saída de Roger Waters do Pink Floyd foi libertadora; entenda 

Porém, as fotografias não foram feitas no dia marcado inicialmente (chovia) e ele não lembrou de chamar o atirador quando remarcou o ensaio. 

A capa final de Animals, do Pink Floyd, é uma montagem com imagens da usina sobrepostas por fotografias isoladas do porco errante. 

 +++ TRÊS DICAS PARA NÃO SER UM 'SACO DE VACILO', POR HOT E OREIA