Prestes a lançar disco, Lady Gaga fala sobre maconha, sexo e prepara transmissão de show ao vivo pela internet

Evento poderá ser assistido na madrugada de segunda, 11

Rolling Stone EUA Publicado em 09/11/2013, às 14h02 - Atualizado às 14h29

Lady Gaga
Markus Schreiber/AP

Para Lady Gaga, a divulgação do disco ARTPOP, que sai no próximo dia 12, tem sido ininterrupta. Neste fim de semana, em Nova York, ela vai comandar um evento chamado artRave, no qual irá cantar músicas do trabalho e o artista Jeff Koons revelará a escultura que aparece na capa do álbum. Obras de arte criadas por Gaga com Marina Abramovic, Inez & Vinoodh, Robert Wilson e própria TechHaus também serão reveladas no evento que será transmitido ao vivo pela VEVO, às 3h30 da madrugada de segunda, 11 (horário de Brasília; 23h30 no horário de Nova York, onde ocorrerá a apresentação).

Lady Gaga rompe com o Troy Carter, seu empresário desde 2007.

Além disso, o programa de meia hora Album Release Party With Lady Gaga, com Ryan Seacrest, vai ao ar em estações de rádio do Clear Channel no dia 11 de novembro. Imagens serão reveladas na CW Network em 19 de novembro.

No meio desse furacão midiático, Gaga tem dado entrevistas a repórteres do Reino Unido que passam longe de ARTPOP. A cantora deixou escapar algumas respostas que deixaram o público surpreso. Em uma, ela contou como passou pela abstinência de maconha; em outra, contou como anda sua vida sexual.

Sobre a maconha, Gaga disse que chegou a fumar 15 cigarros da erva por dia na época da cirurgia no quadril pela qual passou recentemente, que a fez cancelar diversos shows no início do ano. Mas em vez de fazer disso um hábito, a cantora, que recentemente gravou uma música com o verso “I love you more than dope” (“Eu te amo mais do que maconha”), se forçou a deixar o uso abusivo a droga, segundo o que ela falou à revista Attitude.

“Foi um hábito quando a dor ficava realmente forte no quadril”, contou Gaga. “Eu estava me entorpecendo, depois dormia, ia para o palco e me acabava em dor, depois saía e fumava, fumava, fumava, sem saber o que era a dor.”

Ela decidiu deixar a maconha por insistência da amiga e artista Marina Abramovic, que recentemente conseguiu fazer Jay Z cantar “Picasso Baby” por seis horas seguidas e Gaga ficar completamente nua para um curta-metragem de arte. “Ela disse: ‘Ok, você virá para a minha casa. Sem TV, sem computador, sem maconha, sem nada, sem comida. Por três dias, apenas arte. Você comerá apenas arte’”, contou. “Fiquei em abstinência. Por semanas e semanas, não fumei. E agora fumo um pouco à noite, sabe, por diversão – mas não para conseguir lidar com algo. Essa é a diferença. Marina era a única pessoa que conseguiria me levar a fazer isso, e sem a intenção de ser uma rehab.”

Ao programa The Culture Show, da BBC, Gaga deu uma entrevista surreal que a apresentadora Miranda Sawyer detalhou ao jornal The Guardian. A cantora revelou que estava tendo “uma ótima vida sexual” ultimamente e que algumas de suas experiências sexuais anteriores foram “pervertidas e assustadoras, aterrorizantes”. E complementou: “Eu não me acho tão sexy, na verdade”.

Gaga falou ainda que estava cansada pelo trabalho duro ao lado de Robert Wilson nas recriações dos quadros “The Death of Marat”, de Jacques-Louis David, e “The Head of Saint John the Baptist”, de Andrea Solario, que possivelmente serão reveladas no evento da VEVO.