Primeiro vocalista do Iron Maiden admite que abuso de drogas causou demissão da banda em 1981 - e concorda com ela

"Eu gostaria de ter contribuído mais", afirmou Paul Di'Anno

Redação Publicado em 27/02/2020, às 11h51

None
Paul Di'Anno (Foto: Wikicommons / Silvio Tanaka)

Durante uma conversa com o Metal Hammer, o primeiro vocalista do Iron Maiden, Paul Di'Anno revelou que a banda estava certa ao demiti-lo, há quase 40 anos. 

+++ LEIA MAIS: "O Brasil é o país em que eu me sinto mais confortável", diz Paul Di'Anno

"Eu não os culpo por se livrarem de mim. Obviamente, a banda era o bebê de Steve [Harris, baixista], mas eu gostaria de ter contribuído mais", revelou o músico. "Depois de um tempo, isso me decepcionou. Por fim, eu não podia mais me doar 100% ao Maiden, e não era justo com a banda, com o público ou comigo mesmo."

Di'Anno, que participou do Iron Maiden entre 1978 e 1981 e contribuiu com os discos Iron Maiden (1980) e Killers (1981), também abordou os relatos de que ele foi demitido por seu estilo de vida pesado, admitindo que cheirava cocaína "sem parar, 24 horas por dia."

+++ LEIA MAIS: Para Bruce Dickinson, primeiro disco do Iron Maiden é “uma merda”

"Os dois álbuns que fiz com a banda foram cruciais [para o gênero metal]", continuou o músico. "Mais tarde, quando conheci o Metallica, o Pantera e o Sepultura, eles me disseram que foram esses álbuns que os levaram à música, e isso me deixou incrivelmente orgulhoso."

 


+++ TITÃS CELEBRA O ACÚSTICO, MAS SE MANTÉM ELÉTRICO - E É ATRAÇÃO DA MUSIC & RUN