Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Notícias / Opinião

Priscilla é um dos melhores filmes de 2023, segundo Jane Campion

Em redação publicada na Variety, Jane Campion teceu diversos elogios ao elenco de Priscilla, além do trabalho da diretora, Sofia Coppola

Cena de Priscilla (Foto: Divulgação/A24)
Cena de Priscilla (Foto: Divulgação/A24)

Mesmo com poucos dias para 2023 acabar, o ano ainda contará com alguns lançamentos bastante aguardados nos cinemas, como a cinebiografia Priscilla, que conta a história de amor entre a protagonista e Elvis Presley, descrito como um dos melhores filmes do ano por Jane Campion.

Vale destacar como Campion é uma das cineastas mais aclamadas de Hollywood. O currículo da diretora de 69 anos conta com produções como Ataque dos Cães (2021), O Piano (1993), Brilho de uma Paixão (2009), Em Carne Viva (2003), Um Anjo em Minha Mesa (1990), entre outros.

+++LEIA MAIS: Priscilla: Jacob Elordi revela que interpretou Elvis como 'um homem que estava sofrendo'

Em redação publicada pela Variety, a diretora fez diversos elogiou ao longa dirigido por Sofia Coppola. "Não se deixe enganar pela aparente suavidade da visão de Sofia Coppola ou pela sensibilidade gentil de seu olhar, é que Sofia joga suavemente para ser forte," escreveu. "Há tanto ousadia, risco e rigor no cinema de Sofia, tanta confiança radical que assusta os cineastas menores."

"Sofia pode se entregar a algumas deliciosas alegrias de época, como unhas pintadas em carpetes - YUM - mas a verdade, a liberdade radical e a presença de seus atores Cailee Spaeny e Jacob Elordi são excepcionalmente reais," continuou Jane Campion. "Como ela consegue essas performances? É um mistério e é o ato de manipulação zero de Sofia, seu super poder de ousadia e Zen." Leia o restante abaixo:

+++LEIA MAIS: Sofia Coppola sobre retratar Elvis em Priscilla: 'Eu realmente tentei não torná-lo o vilão'

 O que ela revela em Priscilla é uma história de amor entre uma garota solitária de 14 anos, tocante e inabalavelmente determinada, e Elvis, o galã sexy e giratório do mundo. É um retrato raro e incrivelmente íntimo de um caso de amor que floresce e depois azeda. Elvis estima a jovem Priscilla e cuida dela ao seu gosto - a enorme colméia preta e o guarda-roupa cuidadosamente selecionado - mas ele é mandão e mimado, o filhinho de uma múmia enlutada, um traidor, um amante desinteressado e, muito em breve, uma superestrela quebrada e tragicamente morta. É uma deflação terrível, mas também libertadora – até que ponto todas nós, meninas de 14 anos, queríamos capturar o coração de uma estrela do rock? Que garantia maior poderia haver para adolescentes ansiosos e socialmente desajeitados de que somos lindos e especiais? Mas Sofia está aqui para nos contar tudo isso, é um sonho e depois um pesadelo, e sua encenação e as atuações do ator são tão brilhantemente verdadeiras que não podemos duvidar disso.