Quadrophenia faz aniversário

Símbolo da geração mod, filme é adaptação da ópera rock do The Who

Da redação Publicado em 02/05/2008, às 16h12 - Atualizado às 16h31

Quadrophenia: O retrato de uma geração britânica
Reprodução

O filme Quadrophenia completa 29 anos nesta sexta-feira, 2. Lançada seis anos após o disco, a ópera rock da banda britânica The Who é um dos maiores símbolos da cultura mod.

Estilo de vida difundido desde os anos 50, o mod é a abreviação de "modern" (em bom português, moderno). Pessoas que seguem essa tribo são conhecidas por vestir roupas de alfaiataria, andar em motos dos modelos Lambreta e Vespa e ouvir bandas de garagem britânicas, como The Kinks, Animals e o próprio The Who.

No filme, Jimmy (Phil Daniels) e alguns mods vão passar um feriado de três dias na cidade costeira de Brighton, mas acabam por se meter em uma grande briga com roqueiros (hoje, seriam chamados de metaleiros). A história, que retrata com fidelidade todos os aspectos da cultura mod, foi inspirada no que ficou conhecida como "a segunda batalha de Hastings". Hastings é outro balneário britânico que recebeu lutas entre as duas tribos nos anos sessenta.

Quadrophenia tem também no elenco o cantor Sting no papel de Ace Face, ídolo do personagem principal. A máscara do mod cai quando Jimmy descobre que, embora este pregasse desapego total da sociedade em favor da filosofia da tribo cultural, Ace trabalhava para o "sistema" como mensageiro de um hotel.

É neste clímax que o The Who aproveita para lançar um questionamento. Será possível não se entregar para uma vida ligada ao sistema político/econômico/cultural? A cena final do filme é ambígua, e deixa aberta uma reflexão.

Foi durante a gravação de Quadrophenia que o baterista do The Who, Keith Moon, morreu de overdose de uma mistura de remédios e álcool. A banda ainda gravou outro filme, este baseado em sua mais bem sucedida ópera rock, Tommy.