Qual música do Pink Floyd já foi usada em comercial de frutas?

Roger Waters negou furiosamente ao Facebook o uso de 'Another Brick in the Wall, Part 2,' mas uma música da banda foi usada para vender frutas

Andy Greene, Rolling Stone EUA Publicado em 16/06/2021, às 10h53

None
Pink Floyd (Foto: Divulgação)

No início desta semana, Roger Waters, do Pink Floyd, criticou o Facebook por ousar abordá-lo sobre o uso da música "Another Brick in the Wall, Part 2" em um anúncio para o Instagram. "Chegou esta manhã, com uma oferta de uma quantia enorme, enorme de dinheiro," disse Waters em um evento pró-Julian Assange. "A resposta é: 'F***-se. De jeito nenhum, po***."

"Apenas menciono isso porque este é um movimento traiçoeiro deles para assumir absolutamente tudo," continuou. “Não vou participar dessa me***, [Mark] Zuckerberg."

+++LEIA MAIS: O que Jimi Hendrix achava do Pink Floyd?

O funcionário do Facebook responsável por essa ideia, aparentemente, fez pouca pesquisa sobre o assunto antes de entrar em contato com Waters. O músico não só nunca permitiu que sua música fosse usada em um anúncio de qualquer tipo, mas também tem total desprezo pela rede social.

"Como este pequeno idiota começou como um 'ela é bonita, vamos dar-lhe uma nota quatro de cinco, ela é feia, vamos dar-lhe uma nota quatro de cinco,' como lhe demos algum poder?" Questionou Waters. "No entanto, aqui está ele, um dos idiotas mais poderosos do mundo."

+++LEIA MAIS: Roger Waters recusa oferta de Mark Zuckerberg para usar hino do Pink Floyd em publicidade: ‘Nem f*dendo’

Embora Roger Waters e David Gilmour concordem pouco sobre a manutenção do legado do Pink Floyd, ou realmente muito de qualquer outra coisa, estão totalmente de acordo que as músicas da banda não devem ser exploradas dessa forma. Essa postura custou-lhes milhões incalculáveis ​​ao longo dos anos, mas também nos poupou do espetáculo de ver "Money" em um comercial de banco, "Comfortably Numb" em um anúncio de remédio ou "Wish You Were Here" em um ponto turístico.

O problema é: eles controlam apenas as canções nas quais pelo menos um deles é creditado como escritor. Esse é basicamente todo o catálogo do Pink Floyd após a breve era Syd Barrett, mas há "The Great Gig in the Sky," de 1973, onde o tecladista Richard Wright recebeu inicialmente o crédito exclusivo. Não podiam fazer nada para impedir o uso da canção no comercial insano de bananas Dole, de 1974, após a aprovação de Wright.

+++LEIA MAIS: Roger Waters acusa David Gilmour de não creditá-lo em disco do Pink Floyd

Como você pode ver no clipe abaixo, o anúncio mostra uma modelo descascando uma banana de uma maneira descrita como "erótica." Ela dá uma mordida e gira em prazer orgástico enquanto a música toca. Pode parecer algum tipo de paródia bizarra, mas este é realmente um comercial real.

Cerca de 16 anos depois, Wright e a vocalista original Clare Torry regravaram "The Great Gig in the Sky" para um comercial do analgésico Nurofen. "Rick escreveu aquela música," afirmou David Gilmour quando questionado sobre o anúncio. "Refez para eles. Depende do escritor. Se meu nome também estivesse nessa faixa, não teria acontecido. Não faria isso. Mas isso é problema de Rick. Não aprovei, mas não tenho controle sobre isso."

Alguns anos depois, Claire Torry entrou com um processo bem-sucedido contra Pink Floyd e foi premiada com o crédito de co-autoria da canção. Isso dá-lhe um incentivo financeiro mais forte para empurrar para mais anúncios, mas ela precisava da aprovação da propriedade de Wright e isso não parece ter acontecido ainda.

+++LEIA MAIS: Roger Waters, Rage Against The Machine, System of A Down e mais assinam carta em apoio a Palestina

Mas, se o Facebook procura usar uma música do Pink Floyd, deve entrar em contato com a cantora e os herdeiros de Wright. Isso enfureceria Roger Waters infinitamente.


+++ URIAS | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL