Pulse

Quando John Lennon percebeu o fim dos Beatles?

Várias situações motivaram o término do icônico quarteto, mas John Lennon teve uma impressão pessoal antes da banda chegar ao fim

Redação Publicado em 21/08/2019, às 16h35

None
George Harrison e John Lennon (Foto:AP Photo/Arquivo)

Quando falamos sobre o fim dos Beatles, é possível apontar inúmeras coisas que aconteceram até 1970. É claro que as diferenças entre John Lennon e Paul McCartney se tornaram grandes o suficiente para serem ignoradas e contribuiram para que o icônico quarteto chegasse ao fim. 

As sessões de gravação do The White Album, em 1968, por exemplo, é um episódio possível para pontuar as desavenças entre a dupla. Outra situação desconfortável ocorreu quando Ringo Starr deixou a banda e saiu do país. No ano seguinte, George Harrison se despediu do quarteto e decidiu concentra-se em suas próprias canções. 

+++ LEIA MAIS: Por que Paul McCartney teve um colapso durante as gravações do White Album?

Para resumir, os Beatles foram uma constante bagunça nos últimos anos juntos. Mas, de alguma forma, a banda se reuniu e editou as faixas dos amados e últimos discos, Abbey Road e Let It Be

+++ LEIA MAIS: Abbey Road ou Let It Be? Qual foi o último disco dos Beatles?

Levando em consideração o que John Lennon disse após o rompimento, o problema começou logo depois da morte do empresário Brian Epstein, em agosto de 1967. Após isso, ele pôde ver o final do quarteto. Segundo Lennon, os Beatles entraram em colapso e se separaram. 

Epstein morreu de uma overdose acidental de drogas (pílulas para dormir) em sua residência em Londres. Na época, os integrantes da banda estavam no País de Gales assistindo às palestras do Maharishi. 

+++ LEIA MAIS: Qual foi a reação dos Beatles quando John Lennon tocou Strawberry Fields Forever pela primeira vez?

Em uma entrevista para a Rolling Stone EUA, em 1970, Lennon recorda de como ficou abalado com a notícia no dia. 

Embora o Maharishi tenha insistido que os Beatles ficassem bem após a morte do empresário e amigo, Lennon não conseguiu seguir os conselhos.

"Eu fiquei chocado", contou para Jann Wenner. "Eu não sei se você teve, mas eu tive muitas pessoas morrendo ao meu redor e a outra sensação é: 'O que eu posso fazer?'"

Olhando pelo ponto de vista profissional, a banda perdeu o homem que os tirou de Liverpool para viver o auge do sucesso da indústria do entretenimento.

+++ LEIA MAIS: Como Michael Jackson conseguiu os direitos das músicas dos Beatles?

"Eu sabia que estávamos em apuros", disse Lennon. "Eu estava assustado"

A morte de Epstein criou um vazio que os Beatles nunca mais conseguiram preencher. Sem ele, alguém do grupo teria que assumir o controle da situação. Paul McCartney tomou a frente e fez a maioria das tarefas. Para Lennon, isso acelerou o fim dos Beatles

"Paul assumiu e nos liderou", disse Lennon à Rolling Stone EUA.

Epstein não foi capaz de suavizar as tensões entre eles e não pode contar com a ajuda do George MartinGeoff Emerick. A gravação de "Ob-La-Di, Ob-La-da" foi uma situação tensa para Lennon e McCartney

+++ LEIA MAIS: Paul McCartney revela história por trás de Ob-La-Di, Ob-La-Da

Dois anos após a morte de Epstein, Lennon disse a seus colegas de banda que ele estava saindo. McCartney saiu na sequência em abril de 1970. Na época, já era tempo de tentarem a sorte como artistas solo. 

+++ De Djonga a Metallica: Scalene escolhe os melhores de todos os tempos