Quentin Tarantino pede desculpas à vítima de estupro de Roman Polanski: “Fui ignorante e insensível”

Após polêmica com Uma Thurman em Kill Bill, comentário infame que o diretor norte-americano fez em 2003 voltou à pauta

Redação Publicado em 08/02/2018, às 17h33 - Atualizado às 18h01

Tarantino

Ver Galeria
(2 imagens)

O site Indie Wire publicou nesta quinta, 8, uma matéria exclusiva com o diretor Quentin Tarantino. O texto inclui uma declaração oficial do cineasta, na qual ele pede desculpas por, em 2003, durante uma entrevista com Howard Stern promovendo o lançamento de Kill Bill, defender o cineasta Roman Polanski.

Na ocasião, Tarantino chegou dizer que Samantha Geimer, que aos 13 anos foi vítima de estupro de Polanski, era “uma garota festeira” e afirmou: “Eu não acho que foi estupro, não aos 13 anos de idade, não para essas garotas festeiras de 13 anos.”

Na nova declaração, Tarantino diz que quer se desculpar “publicamente para Samantha Geimer por meu comentário arrogante no The Howard Stern Show especulando sobre ela e sobre o crime que foi cometido contra ela. Quinze anos depois, eu percebi o quão errado eu estava.”

Esta semana, Tarantino falou sobre o acidente envolvendo Uma Thurman nas gravações de Kill Bill

“A Srta. Geimer foi estuprada por Roman Polanski. Quando Howard tocou no assunto, eu defendi o lado errado da situação simplesmente para ser provocativo”, ele acrescentou. “Não considerei os sentimentos da vítima, e por isso estou realmente arrependido. Srta. Geimer, eu fui ignorante, insensível e, acima de tudo, estava errado. Eu sinto muito, Samantha.”

Essa foi a segunda polêmica envolvendo Tarantino e o filme Kill Bill que ressurgiu essa semana, após o New York Times publicar uma entrevista com a atriz Uma Thurman, estrela daquele filme, na qual ela menciona o acidente de carro em que se envolveu durante as gravações do longa.

O diretor norte-americano deve começar ainda este ano a produção do próximo filme dele, sobre os crimes de Charles Manson, no qual Polanski será um dos personagens que aparecerá no filme, uma vez que Sharon Tate, esposa do diretor polaco, foi assassinada pelo grupo Manson Family.