Quentin Tarantino proíbe o uso de qual objeto no set de filmagem?

Elenco de Era Uma Vez Em... Hollywood contou sobre como foi trabalhar com o cineasta

Redação Publicado em 18/02/2021, às 17h58

None
Quentin Tarantino (Foto: Vianney Le Caer / Invision AP)

Para quem não sabe, o lendário cineasta Quentin Tarantino, conhecido por grandes produções como Pulp Fiction e Era Uma Vez Em... Hollywood, não é muito apegado com tecnologia - e traz este costume para os sets de filmagem. As informações são do Cheatsheet.

Em uma entrevista ao BBC Radio 1, o elenco de Era Uma Vez… Em Hollywood contou sobre com é trabalhar com Tarantino. "Ele não envia e-mails. Sem e-mail", revelou Brad Pitt. Os atores precisaram usar meios de comunicação mais tradicionais para falar com o diretor.

+++LEIA MAIS: Em 1994, Tarantino escolheu as 3 melhores fitas de VHS - em uma locadora; assista

"É um gravador de voz antigo. Você tem que deixar uma mensagem", explicou Pitt sobre o que acontece quando o cineasta perde uma ligação. De acordo com o Cheatsheet, o diretor não tem celular e proíbe o uso do aparelho eletrônico no set de filmagem. 


+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++LEIA MAIS: Como Quentin Tarantino criou cena favorita de Bastardos Inglórios?

Outro ator de Era Uma Vez Em... Hollywood, Timothy Olyphant, explicou mais sobre as restrições de Tarantino em relação ao uso de celulares em uma entrevista ao programa de rádio de Rich Eisen.

"Usar celular? [Você está demitido.] Feito. Nenhum aviso, nada, você vai para casa", explicou. As restrições são as mesmas até para quem precisa usar celular para fazer ligações: "Você sai para a rua e faz a ligação", contou. 

+++LEIA MAIS: Tarantino revela a cena favorita da história do cinema - e o filme é um clássico do faroeste de 1966

Olyphant até se lembrou de uma vez em que o celular de alguém tocou no set de filmagem de Era Uma Vez Em... Hollywood: "Foi assustador - alguém saiu correndo!", revelou. 


+++ HUNGRIA HIP HOP: 'SOU APEGADO EM SORRISOS QUE A MÚSICA PODE LEVAR' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL