Tarantino se irrita ao ser questionado sobre a relação entre violência no cinema e violência de verdade

"Eu rejeito a sua pergunta", disse o diretor em entrevista, reclamando que não é "um macaco" para ser obrigado a debater questões das quais não quer falar

Redação Publicado em 11/01/2013, às 14h08 - Atualizado às 17h09

Quentin Tarantino
AP

Quentin Tarantino deixou de lado o decoro durante uma entrevista para um programa de TV inglês, quando estava sendo entrevistado pelo jornalista Krishnan Guru-Murthy. O diretor estava falando sobre seu mais novo lançamento, Django Livre, quando foi questionado a respeito da ligação entre a violência na vida real e nos filmes, um assunto já bastante debatido, especialmente quando se trata dos trabalhos dele.

Entrevista: chegando à casa dos 50, Quentin Tarantino comemora a boa forma de sempre com seu filme mais ambicioso, Django Livre, um faroeste à moda italiana sobre escravidão.

Ele se descontrolou e respondeu, para dizer o mínimo, rispidamente, dando a entender que percebeu a pergunta como uma tentativa de arrancar uma declaração polêmica por parte dele. "Não é da sua conta o que acho sobre isso", ele falou. O jornalista tentou argumentar, mas ele o interrompeu e disse que não ia deixá-lo continuar com essa pergunta, que ele diz ter "rejeitado". "Eu não tenho nenhuma responsabilidade de explicar nada que não queira", disse, esbravejando que não é um "escravo" do jornalista, nem um "macaco".

Essa não foi a primeira vez que Tarantino se irritou com a mídia internacional. Ainda nessa entrevista (assista abaixo, a partir dos quatro minutos), o diretor afirma que vê a entrevista de divulgação como mais um comercial do filme e que não ia "morder a isca".