R. Kelly é acusado de trocar favores sexuais por ingressos VIP de show

Cantor teria convencido a jovem a tirar suas roupas e dançar nua para ele em troca de ingressos

Kory Grow, Rolling Stone EUA Publicado em 06/08/2019, às 09h00

None
Cantor R. Kelly (Foto: Amr Alfiky / AP)

R. Kelly foi acusado de solicitar sexo e prostituição de uma pessoa menor de 18 anos, no condado de Hennepin, estado do Minnesota.

O incidente de que o cantor é acusado teria acontecido 18 anos atrás, em julho de 2001, de acordo com a promotoria de justiça do condado de Hennepin. O jornal StarTribune informou que não estava claro se Kelly faria uma aparição na cidade para responder às acusações.

O promotor de Hennepin disse que o incidente teria acontecido quando uma fã tentava conseguir um autógrafo do cantor antes de um show. O advogado diz que Kelly deu a mulher seu número de telefone e a disse para ir encontrá-lo no hotel onde estava hospedado. 

No hotel, Kelly ofereceu US$ 200  para a moça dançar nua, e tiveram "contato sexual", mas não cometeram o ato em si, de acordo com o advogado. Kelly teria entregado a ela ingressos VIP para o seu show. Depois, eles mantiveram o contato e conversaram sobre a possibilidade de que ela visitasse Kelly em Chicago. 

O jornal não revelou o nome da vítima ou a idade dela no incidente. De acordo com as acusações ela deveria ter entre 16 e 18. O advogado de R. Kelly disse a Rolling Stone EUA que considera as acusações “absurdas”, e que são “um apelo do promotor por atenção.”

Na semana passada, Kelly se declarou inocente de acusações de extorsão e tráfico sexual em um tribunal federal do Brooklyn, e teve sua fiança negada no caso. Kelly também enfrenta acusações federais em Chicago por pornografia infantil, aliciamento de menor e conspiração para obstruir a justiça.

LISTA: 13 segredos de 'Ladrão', o terceiro disco do Djonga e um dos melhores de 2019