Radiohead adia shows após queda do palco e morte de roadie

Acidente destruiu grande parte do equipamento da banda

Rolling Stone EUA Publicado em 22/06/2012, às 11h45 - Atualizado às 11h46

Show do Radiohead em DVD: fãs compilaram suas gravações e colocaram o resultado na rede
AP

O Radiohead divulgou na última quinta, 21, um comunicado a respeito da queda de um palco no último sábado, 16, em Toronto, momentos antes da realização do show do grupo. O acidente que tirou a vida do roadie da banda Scott Johnson e feriu outros três membros da equipe. A nota informa que o desabamento destruiu grande parte do equipamento de luz e som do Radiohead, coisas que já eram utilizadas há décadas, e por isso os próximos sete shows, na Europa, serão adiados.

Reconectando o Radiohead: como a banda mais experimental da música atual aprendeu a fazer rock novamente.

“Embora estejamos todos em luto devido ao acontecimento, precisamos lidar com fatores práticos”, diz o informe que noticia o adiamento dos shows na Itália, Alemanha e Suíça. A banda pretende anunciar as novas datas no dia 27 de junho, quando vão esclarecer outros detalhes, como reembolso daqueles que não puderem alterar a data do ingresso.

“Nós vamos nos esforçar e fazer para os fãs o melhor show possível sob tais circunstâncias – muito obrigado a vocês por entender e apoiar”, diz o encerramento do comunicado.

Enquanto isso, quatro empresas, incluindo uma dirigida pelos membros do Radiohead, são alvos de investigações do Ministério do Trabalho do Canadá a respeito da queda da estrutura do palco.

O Ministério do Trabalho identificou as empresas – A Ticker Tape Touring LLP, do Radiohead, além da Optex Staging and Services, de Toronto, a Nasco Staffing Solutions, e a produtora Live Nation – como diretamente responsáveis pelo acidente. O porta-voz Matt Blajer ressaltou principalmente o envolvimento da última.

A investigação sobre o colapso foi prejudicada pelo grande número de empresas envolvidas. “Ainda estamos tentando entender que é responsável pelo que aconteceu”, disse Blajer. “Você tem técnicos de som, de luz, o pessoal da banda – ainda não sabemos quem trabalha para quem”.