Ralé, com Ney Matogrosso, e Califórnia, com Paulo Miklos, concorrem ao prêmio Prêmio Félix no Festival do Rio

Filmes disputam honraria voltada à diversidade de gênero neste domingo, 11, no CCBB carioca

Redação Publicado em 10/10/2015, às 12h10

Cena do filme Ralé, com Ney Matogrosso

Ver Galeria
(2 imagens)

O Prêmio Félix, dedicado à produção cinematográfica voltada à diversidade de gênero, chega à segunda edição em 2015. Parte do Festival do Rio, a premiação acontece na noite do próximo domingo, 11, no Centro Cultural Banco do Brasil da capital fluminense.

"Logo vi que ali dentro a homossexualidade não era um tabu", diz Ney Matogrosso sobre período na Aeronáutica.

Entre os concorrentes estão dois longas com músicos renomados no elenco. Um deles é Ralé (foto acima), com Ney Matogrosso interpretando o personagem Barão em um drama filosófico. O outro é Califórnia, dirigido por Marina Person, que se passa em 1984 e retrata uma viagem ao estado norte-americano, com o músico do Titãs, Paulo Miklos.

Os dois filmes citados fazem a estreia no Festival do Rio e concorrem na categoria ficção do Prêmio Félix. Entre os que disputam a honraria de documentário, está o dinamarquês Fassbinder - Amor Sem Cobranças, que retrata a vida do cineasta alemão do pós-guerra Rainer Werner Fassbinder.

Ney Matogrosso, um homem sexual.

Dois longas serão eleitos entre os 25 títulos cinematográfica voltados à diversidade de gênero exibidos no evento carioca. O júri será composto por Daniel Ribeiro – cineasta que dirigiu Hoje Eu Quero Voltar Sozinho –, Kathleen Gomes – jornalista e crítica portuguesa – e Gilberto Scofield – também jornalista.

Neste endereço é possível ver a lista de concorrentes completa ao Prêmio Félix, e saber os horários em que os filmes estão sendo exibidos no Festival do Rio. A premiação ocorre domingo, 11, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro.