Pulse

Rammstein é acusado de explorar imagens do Holocausto para se promover com novo clipe

Representantes do governo alemão disseram que a representação feita em novo vídeo é de mau gosto e desrespeitosa

Redação Publicado em 28/03/2019, às 14h37

None
Integrantes do Rammstein vestidos como judeus na forca (Foto: Reprodução / YouTube)

O Rammstein lançou na terça, 26, um novo teaser controverso. No vídeo, os membros da banda aparecem vestidos com uniformes similares às usadas por judeus nos campos de concentração da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial. No teaser, os integrantes estão sobre um palanque, comcordas em volta do pescoço e machucados no rosto.

Dois dias depois, nesta quinta-feira, 28, já em meio às críticas, a banda alemã soltou o clipe de "Deutschland". No vídeo da música, a primeira do novo álbum do grupo em 10 anos, o Rammstein parece recapitular da história da Alemanha, unindo fatos reais e de ficção. 

Till Lindemann, vocalista da banda, por exemplo, é decapitado no colo da atriz Ruby Commey, que surge como uma figura de poder emcena. 

Para muitos na Alemanha, as imagens lembram as cenas do Holocausto. Políticos, pensadores e associações de proteção aos judeus, publicadas no Bild, jornal alemão.

“Com esse vídeo, a banda passou dos limites. O jeito que o Rammstein usurpou do sofrimento e da morte de milhões com o objetivo de entreter é frívolo e repugnante”, disse Charlotte Knobloch, ex-presidente do Conselho Central dos Judeus.

“A encenação dos músicos como prisioneiros de campos de concentração passou no sinal vermelho. Se isso servir para a promoção do novo disco, considero uma exploração de mau gosto da liberdade artístima”, acrescenteu Felix Klein, Comissário do Antissemitismo do Governo Federal.

Iris Rosenberg, porta-voz do Yad Vashem [memorial do Holocausto em Jerusalém], considerou o vído irresponsável.  "O Yad Vashem geralmente não critica o trabalho artístico que relembra imagens do Holocausto. Acreditamos que uma representação artística respeitosa pode acontecer, a menos que insulte, degrade ou desonre a memória do Holocausto. Portanto, o Yad Vashem desafia os artistas a agir de forma responsável e a respeitar a memória das vítimas do Holocausto e os sobreviventes dos horrores da época”, disse.

Não é a primeira vez que o Rammstein causa polêmica com holocausto. Em 1998, a banda lançou o clipe de "Stripped". Nele, continham trechos de Olympia, filme de 1936 usado como propaganda nazista.

Em seu site oficial, a banda alemã, cujo som se aproxima de um heavy metal industrial, confirmou a chegada do novo álbum. A data de lançamento está prevista para 17 de maio. Não foi revelado o nome do disco o que leva os fãs a suspeitarem que o trabalho levará apenas o nome do grupo. 

O disco será o primeiro desde 2009, quando saiu Liebe Ist Für Alle Da, um trabalho bastante elogiado e destaque nas paradas alemãs, alcançando a 15ª posição da Billboard Alemanha na semana de seu lançamento. 

Com turnê europeia agendada para ocorrer entre maio e agosto, a banda disponibilizou o disco para pré-venda e revelou a lista de músicas do novo disco, com a grafia misteriosa a seguir: 

1. DEUTSCHLAND
2. +ADI+
3. ++++ DICH
4. A+S+Ä+D+R
5. ++X
6. P+PP+
7. +AS +CH ++E++
8. +IA+AN+
9. WE++ WE+
10. +A++OO
11. +ALL++ANN

Veja abaixo o clipe de "Deutschland":

 

Algoritmo da Vida: novo projeto da Rolling Stone Brasil busca sintomas de depressão mas redes sociais para prevenção do suicídio: