A razão que fez a BBC banir ‘A Day In The Life’ dos Beatles

Teve até carta aberta de executivo do canal

Redação Publicado em 07/08/2020, às 12h04

None
Beatles (Foto: Getty Images / Equipe)

Logo após o lançamento de "A Day In The Life" (1967) - do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles -, a música foi banida de ser transmitida na BBC em circunstâncias polêmicas e controvérsias. A decisão mostrou que a empresa era rígida na época e, mesmo quefosse a maior banda do mundo, se a música fosse considerada ofensiva, não teria como ir ao ar. A Far Out Maganize relembrou a razão disso ter acontecido.

Nessa época, os Beatles estavam naquela incursão no mundo psicodélico do disco. A loucura do Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band foi uma jogada dramática, já que o Fab Four tinha aquela imagem "limpa". Foi um momento responsável por capturar a banda no auge do hedonismo.

+++LEIA MAIS: Filha de Ozzy Osbourne, Aimée explica por que não quis estar no reality The Osbournes

No dia 23 de maio de 1967, os Beatles receberam uma carta de Frank Gillard, diretor da BBC de radiodifusão sonora. No texto, ele detalhou o motivo de proibir "A Day In The Life". "Eu nunca pensei que chegaria o dia em que teríamos que proibir uma música da EMI, mas, infelizmente, foi o que aconteceu nessa faixa", introduziu.

"Ouvimos repetidamente com muito cuidado", continuou o executivo. "E não podemos deixar de chegar à conclusão de que as palavras 'eu adoraria te excitar', seguidas por essa montagem crescente de som, poderiam ter um significado bastante sinistro".

+++LEIA MAIS: James Hetfield admite ‘birra’ com Jon Bon Jovi: ‘Enganador’

Porém, Gillard reconhecia que "a gravação pode ter sido feita com inocência e boa fé". "Mas devemos levar em conta a interpretação que muitos jovens inevitavelmente colocariam nela. "Excitado" é uma frase que pode ser usada em diversas circunstâncias, mas atualmente está em voga no jargão dos viciados", afirmou.

Em contraponto, John Lennon, em conversa com David Sheff, disse que a composição de "A Day In The Life" tinha nada a ver com uso de drogas. "Eu estava lendo o jornal um dia e notei duas histórias. Um era sobre o herdeiro do Guinness que se matou em um carro", revelou. "Essa foi a principal manchete. Ele morreu em Londres em um acidente de carro".

+++LEIA MAIS: Metallica: sacrifício de Jason Newsted foi para salvar a banda toda; revista relembra saída do baixista

Além disso, "na página seguinte, havia uma história sobre quatro mil buracos nas ruas de Blackburn, Lancashire, que precisavam ser preenchidos". O cantor continuou a história: "A contribuição de Paul [McCartney] foi a linda lambidinha da música, 'eu adoraria te excitar', [frase] que ele tinha guardado na cabeça e não conseguia usar. Eu pensei que era um trabalho muito bom".

Por mais que essa fosse a intenção original de John Lennon, McCartney afirmou (via Far Out) sobre a canção ser "a única no álbum escrita como uma provocação deliberada". Graças a reação de Frank Gillard, "A Day In The Life" conseguiu atingir mais notoriedade ainda.


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS