"Eu cresci ouvindo Sonic Youth", diz Kurt Vile, que se apresenta com Thurston Moore no Brasil

Em entrevista à Rolling Stone Brasil, músico falou sobre os shows que fará no país e seu disco mais recente, Smoke Ring for My Halo

Bruno Raphael Publicado em 11/04/2012, às 12h52 - Atualizado às 15h46

Kurt Vile
Divulgação

Acompanhando Thurston Moore em suas turnês após a pausa na carreira do Sonic Youth, Kurt Vile desembarca no Brasil ao lado de sua banda de apoio, o Violators, para abrir os shows solo do músico em três capitais brasileiras. Aos 32 anos, ele divulga o disco Smoke Ring for My Halo (2011), presente em muitas das listas estrangeiras de melhores álbuns do ano passado graças a canções como "Jesus Fever" e "Ghost Town", de cunho mais introspectivo e melancólico do que seus três discos anteriores.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

"Eu cresci ouvindo Sonic Youth, então, desde criança me considerava um fã [de Thurston]", conta Vile, em entrevista à Rolling Stone Brasil. "Isso é incrível. Não senti medo com o convite, sei que Thurston é mais popular, mas algumas pessoas aí na América do Sul também devem conhecer minhas canções. Meu único problema é com o avião. Só tenho medo de voar."

Em Smoke Ring for My Halo, Vile conta que tentou ser mais natural a respeito de seu processo de composição, como em "Jesus Fever", uma canção que, apesar do título quase religioso, é apenas um devaneio do músico. "Eu fui criado em uma família religiosa, então fui exposto a isso”, ele afirma, complementando que não se considera ateu, “mas realmente não penso muito a respeito”. “Essas letras apenas vêm da minha cabeça. São sinceras, mas ao mesmo tempo saem simplesmente do jeito que sei fazer.”

Vile e Thurston fizeram shows conjuntos em 2011. Por isso, ele não sente nenhum nervosismo em abrir para o ídolo, conhecido por apresentações experimentais e energéticas. "Como nós dois faremos coisas mais acústicas, não sinto muita pressão", diz Vile. "Obviamente, ele é conhecido por fazer coisas insanas, mas ainda assim não fico tenso. Dessa vez, é algo bem minimalista e tranquilo.” O repertório de Thurston será baseado em Demolished Thoughts (2011), terceiro disco solo dele, produzido por Beck e lançado meses antes do anúncio da pausa do Sonic Youth.

Vile desconversa a respeito do relacionamento com o guitarrista em turnê, assim como sobre uma volta do grupo dele no futuro. "Eu acho que isso não cabe a mim dizer", diz. "Mas eu gostaria. Só que tem de ser de uma maneira natural."

Influências

"O Nirvana sempre teve coisas pesadas, mas também tinha melodias muito melancólicas, assim como John Lennon e Neil Young", conta Vile ao analisar suas inspirações em Smoke Ring for My Halo. "Ao mesmo tempo, depende de qual disco deles você falava, ou qual música. Quando você ouve um bom rock and roll, não importando o estilo, nada te faz sentir melhor."

Thurston Moore e Kurt Vile & The Violators no Brasil

Porto Alegre

11 de abril, às 21h

Endereço: Rua José do Patrocínio, nº 834 (Bar Opinião)

Preços: R$ 80

Onde comprar: http://www.opiniaoingressos.com.br/loja/

São Paulo

12 de abril, às 22h

Endereço: Praça Carlos Gomes, 82 (Cine Joia)

Ingressos: R$ 140 / R$ 70 (meia-entrada)

Onde comprar: http://cinejoia.tv/ingressos

Rio de Janeiro

13 de abril, às 23h

Endereço: R. dos Arcos S/N (Circo Voador)

Preços: R$ 140 / R$ 70 (meia-entrada)

Onde comprar: http://www.ingresso.com.br