Reclamam da morte do rock, mas depois criticam a gente, diz Greta Van Fleet

Banda acusada de copiar Led Zeppelin critica a falta de criatividade e chatice na indústria

Redação Publicado em 04/05/2019, às 12h20

None
Greta Van Fleet, em ação no Lollapalooza 2019, em São Paulo (Foto: Camila Cara)

Uma nova entrevista com o Greta Van Fleet e mais uma vez as perguntas também se direcionam às críticas recebidas pela banda por conta da semelhança entre o som deles e da icônica Led Zeppelin.

A banda, que se apresentou no Lollapalooza 2019, em São Paulo, com destaque e bom público presente, agora foi questionada pelo jornal Miami New Times sobre o tema e, principalmente, sobre as críticas que recebem.

Samuel Kiszka, baixista do Greta Van Fleet, foi o escolhido da vez para ser o porta-voz do grupo. "Em uma escala maior, [as críticas] não importam. A gente prefere nos distanciar daquilo que pensam da gente. Se você se envolve demais, você vai acabar tentando agradar demais aos outros. É por isso que a indústria da música está tão sem criatividade atualmente."

Para ele, os comentários maldosos que recebem estão diretamente ligada a isso. "Reclamam que o rock está morto, mas depois nos criticam."

Kiszka vê o Greta Van Fleet em um momento importante da banda, justamente por conta da onda grande de críticas que recebem também. "A cada movimento de grande escala, há uma força de oposição igualmente forte. Não seria certo se fosse fácil demais", ele explica.

"Será que as pessoas não ficaram felizes com o ressurgimento do rock? O rock n' roll sempre esteve no underground. Muitas pessoas preferem que continue assim", ele avalia.

Greta Van Fleet prepara novo disco

Greta Van Fleet está trabalhando em um novo projeto, e com urgência, conforme explicou a banda em outra entrevista recente à Billboard.

Após a presença no Grammy, diversos shows ao redor do globo e o Lollapalooza Brasil, o grupo começou a focar naquilo que os fãs vêm pedindo. “Estamos escrevendo muito mais, gravando algumas coisas e já começamos a trabalhar no próximo projeto”, explicou Sam.

E música nova, tem este ano? “Ah, sim, com certeza. Se não tiver, eu vou sair da banda”, disse Danny Wagner, o baterista. “Todos nós vamos desistir. Vamos seguir caminhos separados se não lançarmos novas músicas”, emendou Josh Kiszka, vocalista.

Até agora, a banda tem apenas um disco lançado, Anthem of the Peaceful Army, de 2018. O álbum é um sucesso: todos os seus quatro singles chegaram ao topo das paradas da Billboard. "You're the One" foi a última faixa a atingir o feito, em março deste ano.

+++ Cheia de amor, Cynthia Luz se posiciona como dona da voz (rouca) em ascensão do pop e R&B nacional