No Reino Unido, consumo de música online dobrou em 2013

Vendas digitais representam agora 10% da receita da indústria musical

Redação Publicado em 05/01/2014, às 14h39

Deezer - logo
Reprodução

Um estudo divulgado na última semana apontou que o consumo de música online dobrou em 2013 em relação a 2012 no Reino Unido. O levantamento foi feito pela Indústria Fonográfica Britânica (BIS) e pela The Official Charts Company, empresa responsável por elaborar as listas oficiais de álbuns e singles mais vendidos na região.

A venda de álbuns registrou uma queda generalizada em 2013, principalmente de CDs. Ao todo, 772 milhões de libras foram geradas pela venda de álbuns (em todos os formatos), 29 milhões de libras a menos do valor registrado em 2012. Por sua vez, a venda de CDs, que representa dois terços do mercado, caiu 13%. Já as vendas digitais, que aumentaram quase 7%, representam agora 35% da receita total. Surpreendentemente, a venda de vinis, que representa 0,8% do mercado, dobrou, com 780 mil unidades vendidas.

Quem levou a melhor em 2013 foi audição via streaming, tanto paga quanto subsidiada por publicidade, que se tornou mais popular e atingiu uma marca de 7,4 bilhões de músicas emitidas sem necessidade de download, o dobro do que foi registrado no ano anterior.

“À medida que a música digital avança rumo à era do streaming, as perspectivas para o crescimento futuro no mercado musical no Reino Unido parecem sólidas”, disse o CEO da BIS Geoff Taylor.