Relembre a estreia bizarra do Pink Floyd na TV dos EUA em 1967 [VÍDEO]

A apresentação foi constrangedora, principalmente para Syd Barrett

Redação Publicado em 08/04/2020, às 17h49

None
Pink Floyd (Foto: Divulgação)

O Pink Floyd fez a estreia em um programa de televisão nos Estados Unidos, em 1967, em uma aparição no American Bandstand, onde tocaram “Oranges and Apples”, um momento que marcou o início do fim de Syd Barrett na banda, segundo relembrou o Far Out Magazine.

+++ LEIA MAIS: Os 25 discos favoritos de David Bowie: de The Velvet Underground a Syd Barrett 

American Bandstand foi um fenômeno cultural nos Estados Unidos que durou quase 40 anos até 1989 e era visto como uma enorme oportunidade de causar uma impressão duradoura no grande público de muitas bandas. Para o Pink Floyd, no entanto, essa foi uma oportunidade desperdiçada graças a Syd Barrett.

Após a banda ter começado a se apresentar, Dick Clark, o apresentador, fez uma curta entrevista e, optando por não perguntar nada relevante, perguntou a Roger Waters: “Você está aqui apenas dois dias. O que você acha da comida norte-americana por dois dias? Isso te agrada ou desagrada?”

+++ LEIA MAIS:  Como The Dark Side of the Moon vendeu mais do que qualquer disco dos Beatles ou Led Zeppelin?

Como a pergunta não era relevante, Waters respondeu: "Bem, tudo o que realmente tivemos foram dois cheeseburgers cada um, eu acho."

A entrevista, apesar de tão curta, tornou-se inconsequente quando Clark perguntou a Barrett "por quanto tempo você pretende ficar conosco". O espanto dele é agravado quando o entrevistador, inexplicavelmente, decide voltar as atenções para Richard Wright no meio da resposta.

+++ LEIA MAIS: A Primeira Viagem: Pink Floyd mudou o rock com The Piper at the Gates of Dawn, 50 anos atrás

O desempenho de Barrett estava vago, porque ele deixou claro que estava imitando e apenas olhando para o 'espaço' - e certamente não era a impressão que os colegas de banda desejavam deixar na plateia norte-americana. 

Em um documentário do VH1 sobre a turnê, anos depois, Rick Wright relembrou: "Me lembro no The Fillmore West quando Syd literalmente subiu ao palco e olhou para o espaço, desafinou todas as cordas e bateu nele para fazer esse barulho horrível. Estávamos pensando 'o que podemos fazer, o que podemos fazer'". Nick Mason acrescentou no documentário: "Devo rir com ou tentar matá-lo?"

As datas na América do Norte acabariam sendo interrompidas devido ao comportamento de Barrett, com David Gilmour sendo responsável pouco depois para substituí-lo.

Assista ao vídeo: 


+++ DISCOGRAFIA DO THE STROKES: OS ALTOS E BAIXOS DOS ARRUACEIROS DE NOVA YORK