Repetitivo? 5 truques de Christopher Nolan repetidos nos filmes dele, de Batman a A Origem, segundo site

Cineasta possui 15 créditos como diretor, desde curtas a filmes

Redação Publicado em 19/06/2020, às 12h07

None
Christopher Nolan (Foto:Vianney Le Caer/Invision/AP)

Christopher Nolan é um dos melhores diretores da atualidade, com cerca de 10 filmes dirigidos, ele desde sempre foi bastante aclamado, e atingiu fama mundial após a trilogia do Batman, protagonizada por Christian Bale.

Entre esses mais de 10 trabalhos, o Cinema Blend percebeu que Nolan repete algumas fórmulas. Por incrível que pareça, Batman, A Origem e Interestelar possuem algumas semelhanças e temas parecidos. 

+++LEIA MAIS: Top Gun 2: Jennifer Connelly revela que ficou ‘paranóica’ com o novo filme de Tom Cruise

Veja 5 truques de Christopher Nolan repetidos nos filmes dele abaixo.


Narrativa sem linearidade

Até o momento, contar histórias não lineares é uma das principais marcas registradas de Christopher Nolan.

Essa técnica conta a histórias com algumas linhas do tempo, em diferentes épocas, em vez de contar a história continuadamente. Isso não foi algo criado pelo diretor, ela é usada há anos e anos. Nolan começou a usar narrativas não-lineares em Following (1998), o primeiro dirigido por ele, e conta a história de um escritor que segue as pessoas em busca de material e inspiração.

No entanto, foi em Amnésia (2000) que ele levou a técnica além dos limites, como dito pelo Cinema Blend. Este filme, e o uso da história não-linear, é, sem dúvida o que o estabeleceu como cineasta visionário.

Em vez de buscar outras fórmulas, Christopher Nolan continuou com a direção não-linear. De Batman Begins a Dunkirk, a narrativa é usada de um jeito ou de outros. Nos outros filmes, como por exemplo em A Origem é o mais próximo que ele chega de retornar aos extremos confusos e cerebrais de Amnésia.

+++LEIA MAIS: Jamie Foxx mostra transformação enorme para ser Mike Tyson nos cinemas


Michael Caine

Desde que interpretou Alfred Pennyworth na trilogia Batman, Michael Caine apareceu em todos os próximos filmes de Christopher Nolan. Ele se tornou um amuleto da sorte para o diretor. Isso não quer dizer que ele o coloque em grandes papéis. Muitas vezes, Caine aparece apenas em algumas cenas pequenas.

Como lembrado pelo Cinema Blend, em Dunkirk, Michael Caine fez uma aparição bastante rápida e "oculta", onde a voz dele é ouvida no rádio de Tom Hardy. Christopher Nolan até admitiu na época que Caine tinha que estar no filme de alguma forma.

Em Tenet, Michael Caine conseguiu mais do que uma participação especial. Segundo o ator (via Cinema Blend), ele trabalhou um dia para gravar uma cena com John David Washington, que provavelmente é a mesma cena que pode ser vista no trailer.

+++LEIA MAIS: Morre Ian Holm, o Bilbo da trilogia O Senhor dos Anéis, aos 88 anos


Trens?

Ok, não, Christopher Nolan não usa trens em todos os filmes, mas o uso deles é mais significativo do que parece, segundo o Cinema Blend. O primeiro exemplo disso foi em Batman Begins. Thomas Wayne constrói um trem na cidade como um meio de transporte acessível. Mais tarde, Ra's Al Ghul tenta usar esse trem contra Gotham bombeando gás venenoso do Espantalho para a cidade. Como era de se esperar, Batman pconsegue deter o plano.

Logo no início de O Grande Truque, Robert Angier (Hugh Jackman) pega um trem para Colorado Springs para visitar Nikola Tesla. Ele quer que o inventor construa para ele uma máquina para o próximo truque de mágica dele.

Mas é realmente no começo que os trens se tornam um motivo importante. Enquanto Cob e Mal estão no Limbo, eles deitam a cabeça nos trilhos do trem enquanto Cob diz: “Você está esperando um trem. Um trem que o levará para longe. Você sabe onde espera que o trem o leve, mas não pode ter certeza. No entanto, isso não importa. Agora, me diga por que?".

Na opinião do site, Christopher Nolan usa de trens para indicar o que esperamos no futuro ao longo de uma linha do tempo. Eles são um veículo para onde queremos ir e o que queremos fazer. Para Thomas Wayne, isso significava ajudar os pobres. Para Ra's Al Ghul, isso significava destruir Gotham e começar de novo. Ainda de acordo com o Cinema Blend, o diretor parece concluir que realmente não sabemos o que acontecerá na viagem de trem, e que isso não importa no final.

+++LEIA MAIS: Como violência policial e racismo são normatizados pela produção audiovisual brasileira [ANÁLISE]


Relatividade temporal

Parecido com a fórmula da narrativa não-linear, Christopher Nolan adora explorar o conceito de tempo, especificamente em Amnésia, A Origem, Interestelar e Dunkirk.

A Origem é uma espécie de parente dessa idéia, mas memória dessa vez, e sim de sonhos e realidade. Como o personagem de Joseph-Gordon Levitt diz: "Cinco minutos no mundo real oferecem uma hora no sonho". Essa longa duração, no entanto, também distorce o senso de realidade do personagem, confundindo-o com o que é real e o que é um sonho.

Como o Cinema Blend apontou, Interestelar brinca com a relatividade do tempo ainda mais, usando teorias científica real para se basear. No entanto, ao contrário de A Origem, para Cooper, personagem de Matthew McConaughey em Interestelar, o tempo se torna um bem precioso. Uma hora no primeiro planeta que ele visita é igual a sete anos na Terra. 

+++LEIA MAIS: Conheça o Tony Montana, traficante e assassino de Scarface que ‘estava’ no esconderijo de Queiroz


Paradoxos

Se existe algo em um filme não se resolve perfeitamente, é normal ver reclamações de que existe um "buraco na trama". Mas um paradoxo, por definição, não pode ser resolvido, e isso deixa muitas pessoas desconfortáveis. A Origem e Interestelar são os dois exemplos mais óbvios do uso de paradoxos, de acordo com o Cinema Blend.

No entanto, é com Interestelar que o paradoxo do ciclo do tempo vem com tudo. Cooper tenta passar para a filha, Murph, informações por meio das estantes de livros. Ela usa esses avisos para salvar o mundo e, eventualmente, se reunir com o pai no espaço. É um excelente exemplo do paradoxo.

Caso você não tenha entendido, Tenet nos deu um paradoxo no final do trailer, quando o personagem de John David Washington diz: "Com essa inversão no fluxo do tempo, não estamos aqui agora, significa que nunca aconteceu?" É melhor você acreditar que os paradoxos de Tenet vão dar dor de cabeça às pessoas.

+++LEIA MAIS: Por que John Lennon ‘cortou’ o filho Julian do testamento?


+++ A PLAYLIST DO RUBEL