Responsável por difundir o jiu-jitsu brasileiro, Hélio Gracie fez parte do integralismo, movimento fascista do Brasil nos anos 1930

Pesquisa de Leandro Pereira Gonçalves revelou imagem do lutador vestindo uniforme do movimento

Redação Publicado em 10/08/2020, às 16h59

None
Hélio Gracie (Foto: Divulgação)

Hélio Gracie é considerado o responsável pela difusão do jiu-jitsu brasileiro. No entanto, uma pesquisa em andamento do historiador Leandro Pereira Gonçalves, da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), revelou que o lutador fez parte do integralismo, um movimento fascista brasileiro dos anos 1930. As informações são do UOL.

+++LEIA MAIS: José de Abreu desafia Regina Duarte para debate 'sobre política, cultura, Rouanet' e pergunta: 'Topa, apoiadora de fascista?'

O historiador pesquisou o jornal A Offensiva, veículo porta-voz do integralismo. Em uma capa, Gonçalves achou uma imagem de Gracie vestindo uma camiseta verde com o símbolo da letra grega sigma - marca do integralismo. A notícia dizia: 

Helio Gracie, o consagrado campeão patrício de jiu-jitsu, assignou sábado, em nossa redacção, o respectivo contracto com a Empreza Pugilistica Brasileira para a realização da esperada peleja com o valoroso instructor da Liga de Sports da Marinha, Takeo Yano."

hélio gracie foto reprod
O integralismo foi fundado por Plínio Salgado em 1932, inspirado no fascismo italiano de Mussolini e no nazismo de Hitler. A doutrina defendia valores nacionalistas, religiosos e conservadores. 

+++LEIA MAIS: Bolsonaro compartilha vídeo com frase famosa atribuída a Mussolini

Em entrevista ao UOL, Leandro Pereira Gonçalves falou sobre a descoberta: "Um amigo faixa preta de jiu-jitsu e historiador ouviu falar que o Hélio Gracie tinha uma simpatia com o integralismo. Fiquei curioso e fui atrás".

"Folheei minha documentação e achei a informação. Hélio Gracie foi um membro ativo e frequentava o núcleo de Ipanema. Ele foi referência no grupo, até porque nos anos 30 já era muito conhecido. A Ação Integralista Brasileira (AIB) valorizava a juventude, a agressividade e a virilidade masculina, e o esporte assumiu uma importância grande no integralismo e no fascismo como um todo”, continuou o pesquisador.

+++LEIA MAIS: 5 filmes para entender o fascismo e nazismo em regimes totalitários

Para o historiador, a foto na qual o lutador veste o uniforme do movimento é muito significativa: "Quando a pessoa veste a camisa verde, ela está incorporando não apenas um partido político, mas um modo de vida. Você era integralista em todos os momentos de sua vida".


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS