Revelações de Michael Jackson: namoradas secretas, planos de fuga e paranoia

O ex-segurança do astro pop, Javon Beard, revelou detalhes sobre as polêmicas que marcaram a vida do músico

Redação Publicado em 31/01/2020, às 08h22

None
Michael Jackson (Foto: Allen / Media Punch / IPX)

O ex-segurança de Michael Jackson, Javon Beard, revelou mais detalhes sobre as polêmicas que marcaram a vida do astro pop. Em entrevista ao Express UK, o ex-funcionário do astro pop relembrou os casos com namoradas secretas,  o plano de fuga do artista e o medo extremo de exposição na mídia.

Após a morte do cantor em 2009, diversas acusações surgiram contra o artista, como o documentário Leaving Neverland, que revela com detalhes os crimes de pedofilia de Jackson contra o Wade Robson e James Safechuck durante a infância e adolescência.

Já as informações sobre o cantor reveladas por Beard estarão incluídas em um livro, que ainda não teve o nome ou data de lançamento divulgados. Contudo, já foi confirmada a adaptação cinematográfica da obra.

Confira as revelações polêmicas feitas pelo ex-funcionário de Michael Jackson:

Traumas familiares

O ex-funcionário falou sobre os conflitos familiares, principalmente a relação com o pai, Joe Jackson. Traumatizado pelos abusos do pai, o músico se afastou de toda a família ao longo da vida, com exceção da mãe.

+++ LEIA MAIS: Lisa Marie Presley relembra divórcio com Michael Jackson: ‘Eram as drogas e vampiros ou eu’


Namoradas secretas 

De acordo com o segurança, o cantor tinha duas namoradas secretas, aproximadamente da idade dele, nos Estados Unidos. Com medo da exposição dos relacionamentos para mídia, Jackson não revelou os nomes das mulheres para nenhum funcionário e apenas se encontrava com elas em em Middleburg, Virginia.

+++ LEIA MAIS: De Bruce Lee a Michael Jackson: As 13 celebridades que mais lucraram após a morte entre 2010 e 2019


Plano de fuga 

O músico também sempre estava preparado para fugir sem deixar rastros. Para isso, o astro pop carregava consigo uma maleta com US$ 200 mil, passaportes para a família, e o Oscar de Melhor Filme de E o Vento Levou, que foi entregue a David O. Selznick, em 1940, e vendido para Jackson após a morte do cineasta, em 1999.

+++ LEIA MAIS: Musical vai contar história de origem da luva de Michael Jackson: um alien que "se alimenta de sangue de menino virgem"


Medo de espionagem

Além disso, Jackson acreditava que era vigiado e fazia os funcionários checarem todos os quartos de hotel e salas de conferência, antes dele entrar. Certa vez, o cantor machucou gravemente a mão ao tentar arrancar uma câmera da fachada de um hotel.

+++ LEIA MAIS: Elton John lembra de Michael Jackson como "uma pessoa perturbadora" em autobiografia


Amizade com O.J. Simpson

Outro ponto polêmico era a amizade com O.J. Simpson. O ex-jogador de futebol americano foi absolvido da acusação de assassinato da esposa e um amigo. Jackson ainda abrigou o amigo em Neverland depois do julgamento para fugir da imprensa.

+++ LEIA MAIS: Episódio com Michael Jackson é excluído do catálogo de Os Simpsons no Disney+


Isolamento  midiático

Por fim, o ex-segurança falou sobre o isolamento do artista em relação ao mundo. Jackson não assistia televisão ou filmes, não possuía computador e não lia os próprios e-mails. O único meio pelo qual o músico se informava era por meio do The Wall Street Journal.


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL